Tesla (TSLA34) planeja montar a maior fábrica de automóveis da Alemanha

Com a expansão da fábrica de Brandemburgo, no leste do país, montadora quer produzir até um milhão de carros elétricos por ano

A expansão da fábrica da Tesla (TSLA34) localizada no estado alemão de Brandemburgo, no leste do país, pode torná-la a maior fábrica de automóveis da Alemanha. O objetivo é produzir até um milhão de carros elétricos por ano. Com a notícia divulgada na segunda-feira (17), as ações da Tesla em Nova York fecharam em alta de 3,19%, e puxaram o índice Nasdaq para cima.

A fabricante aguarda a conclusão definitiva de um estudo de impacto ambiental que terá a colaboração dos cidadãos locais por meio de um aplicativo. Uma audiência pública pode ocorrer em outubro para discutir as questões levantadas.

Conflitos com grupos ambientalistas

A construção da fábrica da Tesla foi desacelerada devido a conflitos com grupos ambientalistas quanto ao potencial impacto da usina nas florestas e na vida selvagem, bem como a quantidade de água que a instalação drenaria de fontes locais.

A Tesla começou a produzir seu Modelo Y – SUV totalmente elétrico – no início do ano passado. Em março, a produção havia atingido 5 mil veículos por dia.

Embora ainda ofuscada pelas grandes marcas de automóveis da Alemanha em vendas gerais, os modelos Y e 3 foram os veículos totalmente elétricos mais vendidos na Europa no primeiro trimestre, ultrapassando o ID.3 e ID.4 da Volkswagen, de acordo com o Jato Dynamics, um grupo de pesquisa do consumidor.

Mercado europeu de veículos elétricos desacelerou

O mercado europeu de veículos elétricos desacelerou, mas as vendas seguem crescendo. Durante os primeiros cinco meses deste ano, as vendas de veículos totalmente elétricos aumentaram 42,3%, para 730.137 veículos na União Europeia, Associação Europeia de Comércio Livre e Reino Unido, segundo dados da European Automobile Associação de Fabricantes.

Neste período, a Tesla vendeu 138.294 carros, aumentando sua participação nas vendas de veículos novos na região para 2,6%, deixando-a à frente de fabricantes estabelecidos, como Nissan e Volvo.

Com o crescimento da Tesla, o sindicato IG Metall da Alemanha saudou a perspectiva de empregos adicionais na fábrica da Tesla em Grünheide. No entanto, observou que a empresa demitiu cerca de 200 funcionários e trabalhadores terceirizados.

Com informações do Estadão Conteúdo