Apple pode produzir 6 milhões unidades a menos do iPhone com protestos na China, diz agência

A fábrica da Foxconn em Zhengzhou, que produz a maioria dos smartphones da companhia americana, vem sofrendo com protestos de trabalhadores

A agitação em uma das principais fábricas da Apple na China pode causar uma redução de seis milhões de unidades na produção do iPhone, de acordo com uma fonte ouvida pela agência “Bloomberg”.

A fábrica da Foxconn em Zhengzhou, que produz a maioria dos smartphones da companhia americana, vem sofrendo com protestos de trabalhadores que se revoltaram contras as medida draconianas anti-covid impostas pelo governo.

O crescimento dos protestos na China ao longo do fim de semana pode exacerbar essa situação, diz a agência, citando fontes com conhecimento das linhas de produção da Foxconn.

Recentemente a Apple reduziu sua meta de produção do iPhone de 90 milhões de unidades para 87 milhões de unidades. A Foxconn acredita que pode cobrir a redução da produção em 2023.

As frustrações envolvendo medidas do governo da China e preocupações da Apple com o cenário geopolítico fizeram com que a empresa procure outros lugares para produção do iPhone.

De acordo com analistas do J.P. Morgan, a Apple pretende produzir 25% dos seus iPhone fora da China até 2025, comparado a 5% atualmente. A empresa começou a montar o smartphone na Índia recentemente.

Há pouco, as ações da Apple tinham queda de 1,90% no pré-mercado da Nasdaq, em Nova York.