Lula completa 29 países visitados desde o início do terceiro mandato

Em janeiro deste ano, o presidente rebateu críticas de que viaja demais para fora do Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva completa, nesta semana, 29 viagens a outros países no terceiro mandato.

Na terça-feira (13), Lula embarcou para o continente africano, onde vai visitar o Egito e a Etiópia, países recém-integrados ao Brics, bloco que reúne economias emergentes formado, originalmente, por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

É o primeiro compromisso internacional do presidente neste ano.

Em 2023, primeiro ano de governo, o chefe do Executivo realizou 27 viagens.

O número superou os de Dilma Rousseff, Jair Bolsonaro, Michel Temer e Fernando Henrique Cardoso, nos respectivos anos de estreia na Presidência.

E só foi inferior aos dos mandatos anteriores do próprio Lula, em 2003 e 2007.

O número de viagens foi contado a partir da quantidade de outros países visitados pelo presidente, considerando todos os deslocamentos de um país para outro.

Compromissos na África

O presidente chegou ao Cairo nesta quarta-feira (14) acompanhado da primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja.

Na capital do Egito, ele tem compromissos até quinta-feira (15).

Em seguida, Lula seguirá para Adis Abeba, capital da Etiópia, onde participará como convidado da 37ª Cúpula de Chefes de Estado e Governo da União Africana, entidade que representa cerca de 50 Estados do continente.

As explicações de Lula

No primeiro ano do primeiro mandato, em 2003, Lula realizou 35 viagens internacionais e, em 2007, foram contabilizadas 33.

Dilma Rousseff, visitou 17 países em cada primeiro ano de governo; Michel Temer, 12; e Jair Bolsonaro,14.

Durante cerimônia de aniversário da Universidade de São Paulo (USP), em janeiro deste ano, o presidente rebateu críticas de que viaja demais para outros países.

Segundo ele, “nunca antes na história o Brasil esteve tão respeitado no mundo quanto agora”.

Em outra ocasião, Lula também justificou que as viagens são para “recuperar a imagem” do país.

“Era preciso recuperar a imagem do Brasil e construir uma imagem positiva do Brasil no mundo. O Brasil voltou a ter importância”, disse o presidente durante reunião ministerial em dezembro de 2023.

Com informações do Estadão Conteúdo

Leia a seguir

Leia a seguir