Reconstrução do Rio Grande do Sul: Lula escolhe Paulo Pimenta como autoridade federal do estado

O governo espera combater a sensação, captada em abrigos em diversas cidades, de que há uma ausência do Estado em meio à catástrofe

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva definiu, na noite de terça-feira (14), que o ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, irá acumular o cargo de autoridade federal para o Rio Grande do Sul. Assim, a oficilização do nome de Pimenta deve ocorrer durante visita ao estado.

Na prática, Pimenta terá a tarefa de coordenar os trabalhos de auxílio à população e reconstrução do Rio Grande do Sul. Dessa forma, o governo espera combater a sensação, captada em abrigos em diversas cidades, de que há uma ausência do Estado em meio à catástrofe.

Lula no RS

Lula irá ao Estado acompanhado de uma comitiva de ministros para fazer os anúncios. Existe a expectativa, aliás, de que os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), o acompanhem.

Também nesta quarta-feira, Lula deve anunciar um auxílio de R$ 600 a R$ 1.200 mensal para pessoas desalojas e desabrigadas por conta das enchentes no Estado. A informação são de fontes do governo ao Valor Econômico. Essa ajuda seria destinada, portanto, a pessoas que ainda não estão inscritas no Bolsa Família como um auxílio para reconstrução do Rio Grande do Sul. E, então, seriam inseridas no programa, como uma “folha de pagamento extra”.

Além disso, a gestão quer demonstrar de uma maneira mais clara que está liberando recursos necessários para o socorro e à reconstrução, mas que a execução de ações e obras cabe em grande parte dos casos às prefeituras e ao governo do Estado. A nomeação de uma autoridade federal serviria justamente para atender a essas finalidades.

A medida vem se somar ao voucher de cerca de R$ 5 mil que o governo Lula pretende entregar para cada família desabrigada do Rio Grande do Sul. Apesar disso, segundo fontes da cúpula do Planalto, há pressões de dentro do próprio governo para que esse valor aumente.

Com informações do Valor Pro, serviço de notícias em tempo real do Valor Econômico