PEC da transição irá prever quatro anos de duração, diz Senador Paulo Rocha (PT-PA)

“Não vamos aceitar um ano [de duração] porque isso inviabiliza o governo”, afirmou Rocha

Envolvido nas negociações da “PEC da transição”, o senador Paulo Rocha (PT-PA) afirmou há pouco que a proposta será apresentada pelo novo governo por volta de 16h.

O texto, segundo o parlamentar, já irá prever prazo fixo de quatro anos para retirada do Auxílio Brasil, que voltará a se chamar Bolsa Família, do teto de gastos.

“Não vamos aceitar um ano [de duração] porque isso inviabiliza o governo”, afirmou.

Inicialmente, aliados do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva defendiam prazo indeterminado, mas a ideia sofre resistências.

Até mesmo o período de quatro anos é alvo de objeções. Há líderes defendendo que a exceção seja válida apenas para 2023.

O texto da PEC será apresentado aos integrantes do conselho político da transição nesta manhã.