Lula volta a criticar Selic: ‘ninguém toma dinheiro emprestado a 13,75%’

Lula afirma que taxa básica de juros está 'muito alta'; presidente diz que foco do Brasil não é construir relações hegemônicas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a criticar o patamar da taxa de juros básicos, a Selic, durante um discurso na cidade de Matosinhos, em Portugal, nesta segunda-feira (24). Desde sexta, Lula está em viagem oficial ao país europeu e já firmou 14 acordos bilaterais.

Segundo o presidente, a taxa de juros está “muito alta”e “ninguém toma dinheiro emprestado a 13,75%” ao ano, atual patamar da Selic definido pelo Copom (Comitê de Política Monetária) do BC.

Lula diz que solução é ‘pôr o pobre no Orçamento’

“A verdade é que um país capitalista precisa de dinheiro, e esse dinheiro tem que circular não apenas na mão de alguns, mas de todos”, disse Lula. “A solução do Brasil é a gente voltar a pôr o pobre no Orçamento. É garantir que as pessoas pobres possam comprar.”

Após criticar a taxa de juros, o presidente voltou a dar ênfase no motivo da visita à Portugal. Lula afirmou que o Brasil está “preparado para voltar a ser um país grande, importante e atraente”.

De acordo com o presidente, o desejo é construir “políticas de parceria, não queremos relações hegemônicas com ninguém”. “Não é porque somos grandes que queremos hegemonia”, afirmou. “Não queremos vender o que já está pronto, queremos construir o que falta fazer.”

Leia a seguir

Leia a seguir