Lula sobre 100 dias de governo: ‘Formulamos marco fiscal realista e responsável’

O presidente escreve em artigo que 'o novo arcabouço fiscal manterá o equilíbrio das contas públicas no país'

Ao fazer um balanço dos 100 primeiros dias de governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que sua gestão formulou “um marco fiscal realista e responsável”. Em artigo publicado no domingo (9) no jornal “Correio Braziliense”, Lula disse que o novo arcabouço fiscal manterá o equilíbrio das contas públicas no país. O texto da nova regra, no entanto, ainda não foi enviado pela gestão ao Congresso Nacional.

“Para a roda da economia voltar a girar, formulamos um marco fiscal realista e responsável, que mantém o equilíbrio das contas públicas e garante que os pobres estejam no orçamento”, afirmou o presidente, no artigo. Lula afirmou que seu governo retomou investimentos e prometeu destinar neste ano R$ 23 bilhões para obras.

No artigo, o presidente disse que a prioridade no início de seu terceiro governo foi “reconstruir” o país e disse ter herdado um “cenário estarrecedor”. Segundo Lula, os cem primeiros dias foram suficientes para reverter esse cenário.

“Os problemas herdados eram tantos e em tantas frentes que o termo ‘reconstrução’ foi incorporado ao slogan do governo federal, precedido de outra palavra-chave: ‘união’”, afirmou o presidente. “Não existem dois Brasis, o Brasil de quem votou em mim e o Brasil de quem votou em outro candidato. Somos uma nação”, disse, sem citar diretamente o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).”Vivemos em um único país e precisamos da união de todos para reconstruí-lo.”

Entre as principais ações do governo, Lula destacou a retomada de marcas de gestões passadas do PT no governo federal. O presidente citou a volta do Bolsa Família com valores adicionais para crianças e adolescentes, ressaltou o reajuste de 36% dos valores do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e falou da reativação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e da Faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida, destinada às famílias de baixa renda.

Na área da saúde, o presidente citou a recriação do Mais Médicos, com a abertura de 15 mil vagas.

Lula registrou ainda a retomada de ministérios, como o da Cultura, e a criação de pastas, como a dos Povos Indígenas.

Na área ambiental, o presidente disse ter restabelecido o Plano de Ação para Prevenção e Enfrentamento do Desmatamento na Amazônia Legal. “Enfrentamos o genocídio do povo ianomâmi, com ações emergenciais nas áreas de saúde e combate à fome, e a firme repressão ao garimpo ilegal. Acabamos também com a liberação descontrolada de armas, que provocou o aumento dos casos de feminicídio e de acidentes domésticos envolvendo crianças”, registrou no artigo.