Israel declara guerra após ataque surpresa do Hamas

Ataque do grupo extremista islâmico na manhã deste sábado (7) deixou ao menos 40 mortos e mais de 700 feridos em Gaza

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou que o país está em guerra após um ataque surpresa do grupo Hamas que deixou ao menos 40 mortos e mais de 700 feridos em Gaza.

O Hamas afirma ter capturado vários soldados israelenses perto da fronteira depois que seus militantes entraram em Israel por terra, mar e ar usando parapentes. Segundo o mandante militar do Hamas, Muhammad Al-Deif, a operação “Tempestade Al-Aqsa” visa principalmente as “posições inimigas, aeroportos e posições militares”. O ataque ocorreu após milhares de foguetes serem disparados de Gaza contra Israel.

As Forças de Defesa de Israel responderam com o lançamento da Operação “Espadas de Ferro”. Em uma mensagem por vídeo, o ministro Netanyahu disse: “Cidadãos de Israel, estamos em guerra. Não em uma operação. Não em rondas: em guerra”.

No vídeo acima, o ministro de Israel diz o seguinte:

“Desde esta manhã, o Estado de Israel está em guerra. O nosso primeiro objetivo é expulsar as forças hostis que se infiltraram no nosso território e restaurar a segurança e a tranquilidade das comunidades que foram atacadas.

O segundo objetivo, ao mesmo tempo, é cobrar um preço imenso ao inimigo, também dentro da Faixa de Gaza. O terceiro objetivo é reforçar outras frentes para que ninguém se junte a esta guerra por engano.

Estamos em guerra. Na guerra, é preciso ter equilíbrio. Apelo a todos os cidadãos de Israel para que se unam para alcançar o nosso objetivo mais elevado – a vitória na guerra.”

O ataque deste sábado acontece um dia após o 50º aniversário da guerra de 1973, na qual os estados árabes atacaram Israel no Yom Kippur, o dia mais sagrado do calendário judaico.

*Com agências internacionais