Irã afirma que helicóptero que transportava seu presidente desapareceu após “pouso difícil”

Drones, cães e equipes de busca e salvamento tentam localizar Ebrahim Raisi e o ministro das Relações Exteriores, Hossein Amir-Abdollahian

As equipes de resgate não conseguiram localizar o helicóptero que transportava o presidente iraniano, Ebrahim Raisi, que fez um “pouso difícil” no noroeste do Irã, disse neste domingo o ministro do Interior do país, sem fornecer informações sobre sua condição.

Drones, cães e equipes de busca e salvamento tentam localizar o helicóptero.

Porém, o nevoeiro e o mau tempo dificultam o trabalho, disse o ministro do Interior, Ahmad Vahidi, à televisão estatal iraniana.

A bordo do helicóptero também estava o ministro das Relações Exteriores, Hossein Amir-Abdollahian, disse a TV estatal.

Em Washington, um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional disse que os EUA estão cientes dos relatórios, mas não comentaram imediatamente a situação.

Equipes de resgate foram enviadas às proximidades do incidente, que ocorreu na floresta montanhosa de Arasbaran, no extremo noroeste do país, perto da fronteira do Irã com o Azerbaijão, segundo a Organização humanitária não governamental Crescente Vermelho.

Pir-Hossein Kolivand, chefe da Crescente Vermelho Iraniano, disse à TV estatal que 40 equipes de resposta rápida de várias províncias estavam fazendo buscas a pé porque a área é muito montanhosa.

Já a TV estatal mostrou imagens da área coberta por uma espessa neblina.

O presidente viajava para Tabriz, a maior cidade do noroeste do Irã, a cerca de 160 quilómetros de onde o helicóptero parece ter caído.

O incidente ocorreu após Raisi inaugurar uma barragem com o líder do Azerbaijão, Ilham Aliyev, na fronteira entre os países.

A TV estatal iraniana também transmitiu imagens de pessoas orando pela saúde do presidente.

Um alto funcionário do Hamas divulgou uma declaração de apoio ao presidente, dizendo: “Nossos corações estão com o povo irmão iraniano. Pedimos a Deus Todo-Poderoso que seja gentil com o presidente iraniano, o ministro das Relações Exteriores e todos aqueles que estão com eles.”

Sanções e programa nuclear

Durante anos, o Irã dependeu de aeronaves e equipamentos antigos devido às sanções ocidentais à venda de aviões e peças sobressalentes ao país.

Raisi tornou-se presidente em agosto de 2021, liderando um governo significativamente mais duro do que o seu antecessor, Hassan Rouhani.

Há especulações de que ele pode ser um candidato a se tornar o líder supremo do país quando o aiatolá Ali Khamenei, de 85 anos, morrer.

As relações do Irã com o Ocidente azedaram sob Raisi, eleito com a participação em votação mais baixa em anos.

A administração Biden esteve perto de chegar a um acordo para relançar o acordo nuclear de 2015 antes da eleição de Raisi, mas o novo governo suspendeu as negociações e depois regressou à mesa de negociações com uma série de novas exigências.

No final, as negociações fracassaram em 2022, encerrando a possibilidade de um alívio das sanções ocidentais para Teerã, devido ao aparato nuclear do Irã.

Embora Khamenei tenha a palavra final sobre política nuclear, o trabalho avançou significativamente desde que Raisi assumiu o cargo.

O Irã já produziu material físsil suficiente para cerca de três armas nucleares, dizem especialistas.

O país nega estar trabalhando em armas nucleares e as autoridades americanas dizem que não há provas atuais de uma arma esteja em construção.

Com informações do Valor Pro, serviço de notícias em tempo real do Valor Econômico