Alckmin anuncia Janones, Marina Silva e Flávio Dino para equipe de transição; veja novos nomes

Lista tem Marina no meio ambiente, Janones na comunicação, Dino na Justiça e Paul Prates em Minas e Energia;

A equipe de transição do governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva ganhou novos integrantes para os gabinetes nesta quarta-feira (16). As indicações incluem nomes que compuseram a frente ampla a favor do PT no primeiro e no segundo turno, assim como ex-ministros, senadores, deputados e empresários. O anúncio foi feito pelo vice-presidente eleito Geraldo Alckmin no auditório do CCBB, de onde o novo governo despacha.

Alguns gabinetes da equipe de transição contam com a presença de desafetos do bolsonarismo, além de aliados do presidente eleito. André Janones, um dos coordenadores da campanha do petista nas redes sociais, foi indicado para uma vaga no gabinete de Comunicação Social.

Já em outros grupos de trabalho, nomes de fortes candidatos a ministérios apareceram o quadro, reforçando boatos. Para o gabinete de transição de Meio Ambiente, Marina Silva, deputada eleita e cotada para assumir a pasta após a COP27, foi nomeada. No grupo temático de Justiça e Segurança Pública, o senador eleito Flávio Dino foi indicado — ele é outro forte candidato a ministro.

Veja a lista completa de cada gabinete da transição anunciado nesta manhã.

Agricultura, Pecuária e Abastecimento

O gabinete de Agricultura, Pecuária e Abastecimento pode gerar polêmicas ao governo de transição de Lula por reunir empresários e agropecuaristas. Há um destaque para a senadora Katia Abreu, que ajudou o novo governo a se aproximar do setor no segundo turno, junto com Simone Tebet e Carlos Fávaro, também presente nesta equipe.

  • Carlos Fávaro (PSD-MT), senador
  • Evandro Gussi, CEO da Unica (União da Indústria de Cana de Açúcar e Bioenergia)
  • Joe Valle (PDT-DF), deputado distrital
  • Kátia Abreu (PP-TO), senadora
  • Luis Carlos Guedes, ex-ministro da Agricultura
  • Neri Geller, ex-ministro da agricultura
  • Sílvio Crestana, ex-diretor da Embrapa
  • Tatiane Deane de Abreu Sá, ex-diretora executiva da Embrapa

Ciência, Tecnologia e Inovação

Para a área de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lula compôs uma equipe de transição com nomes de instituições de apoio à pesquisa e ciência no terceiro setor, assim como ex-executivos de sistemas do governo federal, como o CNPQ, e reitores. Vale mencionar que o físico Ricardo Galvão, ex-presidente do INPE (Instituto de Pesquisas Espaciais), está na lista de indicações. Ele foi desonerado do instituto após entoar críticas a Bolsonaro pelo avanço no desmatamento.

  • Alexandre Navarro, vice-presidente da Fudanção João Mangabeira
  • André Leandro Magalhães, ex-presidente do Dataprev
  • Celso Pancera, ex-ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação
  • Ildeu de Castro Moreira, ex-presidente da SBPC (Sociedade Brasileira do Progresso pela Ciência)
  • Glaucius Oliva, ex-reitor da USP e ex-presidente do CNPQ
  • Ima Vieira, doutora em Ecologia pela Universidade de Sterling
  • Iraneide Soares da Silva, professora da Universidade Estadual do Piauí (UESPI)
  • Leone Andrade, diretor de tecnologia do SENAI Cimatec
  • Luiz Manuel Rebello Fernandes, ex-presidente da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos)
  • Luis Antônio Elias, ex-secretário do MCTI
  • Ricardo Galvão, ex-diretor do INPE
  • Sergio Machado Resende, ex-ministro de Ciência e Tecnologia

Gabinete de Comunicação Social

Lula ao lado de André Janones (Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação)
Lula ao lado de André Janones (Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação)

O coordenador da campanha digital de Lula nas eleições está no gabinete de comunicação social da transição. Além de Janones, a equipe conta com a participação de Manuella Dávila, ex-deputada e candidata à presidência nas eleições de 2018. Ela é jornalista.

  • André Janones (AVANTE-MG), deputado federal eleito por Minas
  • Antônia Pellegrino, roteirista e cineasta
  • Flávio Silva Gonçalves, diretor do Instituto de Radiodifusão da Bahia (Irdeb)
  • Florestan Fernandes Junior, jornalista
  • Helena Chagas, ministra-chefe da secretaria de comunicação social da Presidência da República
  • Hélio Doyle, ex-secretário de Comunicação governo distrital do DF
  • João Brant, ex-secretário executivo do Ministério da Cultura
  • Laurindo Leal Filho, ex-secretário municipal de São Paulo
  • Manuela D’Ávila, ex-deputada e presidenciável pelo PCdoB em 2018
  • Ótavio Costa, presidente da ABI
  • Tereza Gruvinel, ex-presidente da EBC
  • Viviane Ferreira, presidente da SPCine

Gabinete do Desenvolvimento agrário

No gabinete de Desenvolvimento Agrário, Lula preferiu compor uma equipe mista, com acadêmicos e pesquisadores ao lado de coordenadores de movimentos de trabalhadores rurais. Há um foco na agricultura familiar, defendida diversas vezes pelo PT durante a campanha por ser uma área de investimentos no novo governo Lula.

  • Célia Watanabe, pesquisadora
  • Elizangela Araujo, do Fórum Baiano da agricultura familiar
  • Givanilson Porfírio, assessor da presidência da Confederação dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag)
  • João Grandão (PT-MS), ex-deputado federal
  • José Josivaldo Oliveira, membro da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens, o MAB
  • Luiz Henrique Gomes de Moura, professor da UnB
  • Maria Josana de Lima Oliveira, coordenadora geral da Contrafe (Confederação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar)
  • Miguel Rosseto, ex-ministro do Desenvolvimento Agrário
  • Pedro Uczai (PT-SC), deputado federal eleito
  • Robervone Nascimento, doutora em Agronomia
  • Vanderley Ziger, presidente Unicafes (União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária)

Gabinete do Desenvolvimento Regional

Esse gabinete integra grande parte de senadores aliados à base petista durante as eleições de 2022. No desenvolvimento regional, Camillo Santana, senador eleito pelo Ceará, é um dos possíveis nomes para comandar a pasta no ano que vem.

  • Camilo Santana (PT-CE), ex-governador do Ceará e senador eleito
  • Ester Bermeguy, ex-secretária do conselho de desenvolvimento econômico e social da Presidência da República
  • Helder Barbalho (MDB), governador do PA
  • Jonas Paulo Neris, coordenador executivo do conselho de desenvolvimento econômico e social da Bahia,
  • Otto Alencar (PSD-BA), senador
  • Randolfe Rodrigues (Rede-AP), senador
  • Raimunda Monteiro, ex-reitora da Universidade Federal do Oeste do Pará
  • Tânia Barcelar, ex-secretária nacional de políticas regionais do Ministério da Integração Nacional

Gabinete de Justiça e Segurança Pública

O ex-governador do Maranhão e senador eleito Flávio Dino (PSB)

O PT indicou algumas figuras que se destacam no cenário político nacional para a equipe do gabinete de Justiça e Segurança Pública. O advogado de Lula, Cristiano Zanin, está presente na pasta, assim como o senador reeleito Omar Aziz (PSD-AM) e o ex-governador e senador eleito Flávio Dino (PSB-MA). O quadro também é composto por pesquisadores na área de violência, racismo e políticas criminais.

  • Andrei Passos Rodrigues, delegado da Polícia Federal
  • Camila Nunes, colaboradora do Núcleo de Estudos contra a Violência da USP (Universidade de São Paulo)
  • Carol Proner, professora da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)
  • Cristiano Zanin, advogado de Lula
  • Flávio Dino, ex-governador do Maranhão e senador eleito
  • Gabriel Sampaio, ex-secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça
  • Jaqueline Sinhoretto, pesquisadora do grupo de estudos sobre violência e administração de conflitos da USP
  • Marco Elias Rosa, ex-secretário de Justiça do Estado de São Paulo
  • Marco Aurélio Carvalho, advogado
  • Marivaldo Pereira, ex-secretário Executivo do Ministério da Justiça
  • Marta Machado, professora da Fundação Getúlio Vargas (FGV)
  • Omar Aziz (PSD-AM), senador
  • Paulo Teixeira, deputado federal releeito por São Paulo
  • Pierpaolo Bottini, professor em Direito Constitucional da USP
  • Sheila Carvalho, advogada e professora
  • Tamires Gomes Sampaio, pesquisadora em Segurança Pública, Racismo Estrutural e Política Criminal
  • Whadi Damous, advogado e ex-presidente da OAB do Rio de Janeiro

Todas as polícias federais e estaduais do país serão chamadas para colaborar com os trabalhos do grupo de transição de Justiça e Segurança Pública. O convite, diz Alckmin, se estende às guardas municipais, como a GCM, em São Paulo.

Gabinete do Meio Ambiente

A ex-ministra Marina Silva ao lado de Lula. Foto: Mariana Greif/Reuters

Lula chamou Marina (Rede-SP) para integrar seu gabinete de Meio Ambiente. A deputada eleita e ex-ministra do Meio Ambiente foi com o presidente para a COP27, e deve ajudar Lula a coordenar a agenda durante o evento. Ela se junta aos colegas Carlos Minc e Isabel Teixeira; ambos ocuparam a pasta durante os dois mandatos de Lula.

  • Carlos Minc, ex-ministro do Meio Ambiente
  • Izabella Teixeira, ex-ministro do Meio Ambiente
  • Jorge Viana (PT), ex-governador do Acre
  • José Carlos da Lima Costa, ex-secretário-chefe da Casa Civil do Pará
  • Marilene Correia da Silva Freitas, ex-reitora da UFAM (Universidade Federal do Amazonas)
  • Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente e deputado
  • Pedro Ivo, ambientalista
  • Silvana Vitorassi, doutora em Educação Ambiental

Minas e Energia

O gabinete de Minas e Energia tem uma equipe mista, composta por ex-ministros, coordenadores de sindicatos, ex-executivos de agências reguladoras e envolvidas na produção de energia. O senador Jean Paul Prates (PT-RN), que está cotado para assumir a vaga de presidente da Petrobras, está no time.

  • Anderson Adauto, ex-ministro de Minas e Energia
  • David Bacelar, coordenador geral da Frente Única dos Petroleiros
  • Fernando Ferro (PT-CE), ex-deputado federal
  • Giles Azevedo, ex-chefe de gabinete do Ministério de Minas e Energia
  • Guto Quintella, agrônomo e empresário
  • Ícaro Chaves, diretor da associação dos engenheiros e técnicos do sistema Eletrobras
  • Jean Paul Prates (PT-RN), senador
  • Magna Chambriard, ex-diretora da Agência Nacional do Petróleo (ANP)
  • Maurício Tolmasquim, professor da UFRJ e ex-ministro interino de Minas e Energia
  • Nelson Rubner, ex-ministro interino de Minas e Energia e diretor nacional da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)
  • Robson Sebastião, coordenador nacional do MAB
  • William Nozaki, diretor do Instituto de Estudos Estratégicos em Petróleo, Gás e Energias

Gabinete da Pesca

A equipe de Pesca reúne professores de universidades com foco no Nordeste. Potencialmente, Lula pode explorar a prática de forma mais intensa na região, como motor de desenvolvimento local.

  • Altemir Gregolin, ex-ministro da Pesca e Aquicultura
  • Antônia Gama, professora da UFOPa
  • Carlos Alberto Leão, ex-superintendente de pesca e aquicultura no Pará
  • Carlos Alberto Pinto dos Santos, secretário-executivo da Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas e Povos Tradicionais Costeiros e Marinhos
  • Cristiano Wellington Ramalho, professor de sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Ederson Pinto da Silva, ex-diretor geral do departamento de pesca, aquicultura, quilombolas e unidades indígenas da secretaria do desenvolvimento rural, pesca e cooperativismo do RS
  • Flávia Lucena Frédou, professora titular da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Joao Felipe Nogueira Matias, ex-secretário de planejamento e ordenamento da aquicultura, do Ministério da Pesca.

Gabinete dos Povos originários 

Os povos originários devem ganhar seu próprio ministério em 2023. Afinal, essa é uma das promessas de Lula feitas durante a campanha. A lista de nomeações para o gabinete de transição dos povos originários tem Sônia Guajajara, candidata forte ao cargo de ministra da pasta, e Joênia Wapichana, deputada que não conseguiu se reeleger, mas pode assumir cargo no nova Esplanada de Lula.

  • Benki Piyãko, conhecido Benki Ashaninka, representante político e xamânico do povo Ashaninka
  • Célia Nunes Correa, conhecida como Célia Xakriabá, é uma professora ativista indígena do povo Xakriabá em Minas Gerais.
  • Davi Kopenawa Yanomami, escritor, ator, xamã e líder político yanomami
  • João Pedro Gonçalves da Costa, ex-presidente da Funai (Fundação Nacional do Índigena)
  • Joênia Wapichana, a primeira mulher indígena a ser eleita deputada federal
  • Juliana Cardoso (PT-SP), vereadora
  • Marcio Augusto Freitas de Meira, ex-presidente da Funai
  • Marivelton Baré, presidente da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN)
  • Sônia Guajajara (PSOL-SP), líder indígena e deputada federal eleita
  • Tapi Yawalapiti, é liderança e cacique do povo Yawalapíti da região do alto Xingu

Gabinete de Previdência Social

Lula também pretende recriar o Ministério da Previdência Social, atualmente sob o guarda-chuva do Ministério do Trabalho. A lista tem José Pimental, um dos políticos cotados para assumir o comando da pasta.

  • Alessandro Stefanutto, procurador federal e ex-chefe da Procuradoria Federal Especializada do INSS (PFE/INSS)
  • Eduardo Fagnani, Professor do Instituto de Economia da Unicamp
  • Fabiano Silva, coordenador na Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB-SP
  • Jane Berwanger, advogada em direito previdenciário
  • José Pimentel, ex-ministro da Previdência Social durante o governo Lula
  • Luiz Antônio Adriano da Silva, secretário-geral nacional do Solidariedade

Gabinete de Relações Exteriores

Nas relações exteriores, Lula escalou o tucano e ex-ministro das Relações Exteriores de Michel Temer, Aloysio Nunes. Por outro lado, o ex-chanceler do Brasil durante os governos Lula e Dilma, Celso Amorim, também está no gabinete. Ele, no entanto, não deve assumir controle do Itamaraty devido à agenda intensa de viagens, requisito para sentar na cadeira de ministro das Relações Exteriores.

  • Aloisio Nunes Ferreira, ex-ministro das Relações Exteriores no governo Temer
  • Audo Faleiro, ex-assessor para assuntos internacionais da Presidência da República
  • Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores e da Defesa
  • Cristovam Buarque, economista, foi governador do Distrito Federal e ex-ministro da Educação
  • Monica Valente, ex-secretária de Relações Internacionais do PT
  • Pedro Abramovay, ex-secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça
  • Romênio Pereira – secretário de Relações Internacionais do PT

Gabinete de Saúde

Já o gabinete de transição da Saúde conta com a presença de políticos e velhos aliados do PT, assim como com um quadro técnico da fundação Oswaldo Cruz. Alguns médicos renomados estão no grupo de trabalho, como a médica e cardiologista Ludhmila Abrahão Hajjar, que quase assumiu a pasta da Saúde no governo Bolsonaro, e Roberto Kalil Filho, outro cardiologista de peso.

  • Alexandre Padilha, ex-ministro das Relações Institucionais no governo Lula e da Saúde no governo Dilma
  • Arthur Chioro: ex-ministro da Saúde
  • Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional da Saúde
  • Humberto Costa (PT-PE), senador e ex-ministro da Saúde
  • José Gomes Temporão, pesquisador da Fiocruz e ex-ministro da Saúde
  • Lúcia Souto, presidente do Centro Brasileiro de Estudos da Saúde
  • Ludhmila Abrahão Hajjar, médica e coordenadora de Cardio-Oncologia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas
  • Maria do Socorro de Souza, pesquisadora da Fiocruz
  • Miguel Srougi: médico e professor da Faculdade de Medicina da USP e da Escola Paulista de Medicina
  • Nísia Trindade Lima presidente da Fundação Oswaldo Cruz
  • Regina Fatima Feio Barroso: superintendente do Complexo Hospitalar Universitário da UFPA.
  • Roberto Kalil Filho, médico cardiologista, fundou o Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, é diretor clínico do Instituto do Coração (InCor)

Gabinete de Trabalho

Na área do Trabalho, Lula indicou uma série de pesquisadores e técnicos de institutos como Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Além da presença de integrantes dessas organizações, estão presentes presidentes de centrais sindicais, como CUT (Central Única dos Trabalhadores) e UGT (União Geral dos Trabalhadores).

  • Adilson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).
  • André Calixtre, pesquisador do Ipea
  • Clemente Gantz Lucio, ex-diretor técnico do DIEESE
  • Fausto Augusto Júnior, diretor técnico do DIEESE
  • Laís Abramo, ex-diretora da Organização Internacional do Trabalho no Brasil
  • Miguel Torres, presidente da Força Sindical
  • Patrícia Trópia, ex-presidente da Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET)
  • Ricardo Patah, presidente da (UGT)
  • Sandra Brandão, economista
  • Sérgio Nobre, presidente nacional da CUT

Gabinete de Transparência, integridade e controle 

O grupo de Transparência, Integridade e Controle é importante para ventilar críticas do antipetismo ligadas à corrupção. O gabinete responsável pela gestão de mecanismos de fiscalização da transição é composto de procuradores em exercício e aposentados.

  • Ailton Cardozo, procurador do Estado da Bahia.
  • Claudia Aparecida de Souza Trindade, procuradora da Fazenda Nacional
  • Cléucio Santos Nunes, especialista em Direito Tributário da PUC-SP
  • Eugênio Aragão, subprocurador-geral da República aposentado e ex-Ministro da Justiça
  • Jorge Messias, procurador da Fazenda Nacional
  • Juliano Breda, advogado
  • Luiz Augusto de Britto Filho, ex-ministro da Controladoria-Geral da União (CGU).
  • Luiz Carlos Rocha, advogado e ex-Presidente da Comissão de Direito do Consumidor da OAB-PR.
  • Manoel Caetano Ferreira Filho, procurador de Estado aposentado e Professor da UFPR (Universidade Federal do Paraná)
  • Mauro Menezes, ex-presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República
  • Paulo Henrique Câmara, governador de Pernambuco, auditor do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE/PE).
  • Vânia Viera, ex-diretora de Prevenção à Corrupção da CGU

Gabinete de Turismo

Por fim, o gabinete de Turismo da equipe de transição reúne alguns apoiadores de Lula durante a campanha, como o deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ), que fracassou na corrida ao governo do Rio de Janeiro, além do senador Veneziano Vital do Regô (MDB-PB). Destaque para o nome de Marta Suplicy, ex-ministra do Turismo, que pode estar cotada para assumir um cargo na Esplanada em 2023.

  • Arialdo Pinho, Secretário de Turismo do Estado do Ceará
  • Chieko Aoki, empresária do setor hoteleiro
  • Carina Câmara, superintendente da Secretaria de Estado do Turismo do Piauí
  • Luiz Barreto, ex-ministro do Turismo
  • Marcelo Freixo (PSB-RJ), deputado federal
  • Veneziano Vital do Regô (MDB-PB), senador
  • Marta Suplicy ex-ministra da Cultura e do Turismo
  • Orsine Oliveira Júnior, ex-secretário de Turismo do Amazonas