Petróleo fecha sem coesão com WTI perto da estabilidade após cinco altas seguidas

Preço do Brent caiu após após a commodity acumular ganhos superiores a 6% na semana passada, enquanto o WTI apagou as perdas e subiu

Os contratos futuros do petróleo não tiveram um sinal coeso nesta segunda-feira (12), com o Brent em queda diante de uma correção após a commodity acumular ganhos superiores a 6% na semana passada, enquanto o WTI apagou as perdas e subiu.

Operadores seguem monitorando de perto os desdobramentos do conflito entre Israel e o grupo extremista Hamas, em meio ao ressurgimento das esperanças de que as operações em Gaza podem estar perto do fim, após militares israelenses confirmarem que os ataques ocorreram no sul do território mas disseram que já foram concluídos.

“Isto ajudou a reduzir ligeiramente os preços do petróleo, uma vez que as preocupações com as restrições de oferta na região diminuíram um pouco. Temia-se que um ataque total a Rafah pudesse ser catastrófico e causar uma escalada mais ampla”, escreveram analistas do grupo financeiro Hargreaves Lansdown, em nota.

Na New York Mercantile Exchange, o contrato do WTI para março subiu 0,10% (US$ 0,08), a US$ 76,92 o barril. O Brent para abril cedeu 0,30% (US$ 0,25), a US$ 81,94, perto das 16h50.

Expectativa de maior produção contribuiu para queda no preço

Mesmo com esse sinal de Israel, no entanto, uma trégua permanece ilusória e os ataques dos rebeldes Houthi no Mar Vermelho não foram totalmente debelados, diz a Lansdown . As expectativas de uma maior produção de petróleo nos EUA também contribuíram para uma queda nos preços, e com as apostas crescentes de que as taxas de juro mais elevadas poderão perdurar por mais tempo, o que cria um obstáculo à procura da commodity.

Do lado corporativo, as rivais Diamondback Energy e Endeavor Energy Resources confirmaram hoje um acordo de fusão, criando um gigante do setor de petróleo e gás avaliado em mais de US$ 50 bilhões.

Com informações do Estadão Conteúdo