Uma bolada para Elon Musk: acionistas da Tesla decidem manter plano de remuneração multibilionário

Votação a favor sinaliza apoio ao bilionário e líder de longa data da fabricante de veículos elétricos

Os acionistas da Tesla votaram na quinta-feira (13) para reaprovar o pacote de remuneração multibilionário de Elon Musk. Assim, sinalizando apoio ao líder de longa data da fabricante de veículos elétricos e dando ao conselho munição na luta para preservar o plano de compensação rejeitado por um tribunal.

A aprovação da proposta da empresa foi anunciada na reunião anual de acionistas da Tesla em Austin, Texas. A empresa não forneceu uma quebra percentual da votação; em 2018, 73% dos acionistas que votaram apoiaram o pacote.

Após o anúncio dos resultados, Musk apareceu no palco dançando e agradecendo aos acionistas: “Eu só quero começar dizendo, ‘Puxa vida, eu amo vocês’”.

Musk e Tesla

Musk estava de bom humor enquanto falava sobre as oportunidades de crescimento da empresa com veículos autônomos e robôs. “Não estamos apenas abrindo um novo capítulo para a Tesla. Estamos começando um novo livro”, disse ele.

A votação seguiu uma intensa campanha do conselho e de Musk para garantir o apoio dos acionistas, e tornou-se um referendo sobre o futuro do bilionário em uma empresa que ele ajudou a transformar numa potência de veículos elétricos.

O conselho da Tesla argumentou que o pacote de remuneração — uma porção considerável da riqueza pessoal de Musk — era necessário para motivá-lo a continuar liderando a montadora mais valiosa do mundo a longo prazo.

As ações da Tesla subiram 1% nas negociações depois do horário comercial após a notícia da votação. A ação caiu aproximadamente 27% em 2024.

Os acionistas também votaram a favor de mover a sede legal da empresa de Delaware para o Texas, onde a Tesla tem sua sede e uma de suas fábricas principais. O conselho havia instado os investidores a apoiar a mudança, dizendo que o Texas era o “Estado natal” da Tesla.

Pacote de remuneração de US$ 48 bilhões

Pedir aos eleitores que reaprovarassem o pacote de remuneração de Musk foi visto como uma aposta para o conselho da Tesla. A base de acionistas da empresa mudou desde que o acordo foi aprovado pela primeira vez em 2018, e os acionistas atuais estavam sendo solicitados a aprovar a remuneração pelo desempenho passado, ao mesmo tempo que a Tesla lidava com a desaceleração das vendas de veículos elétricos e questões sobre a demanda por seus veículos.

Em uma postagem no X, antigo Twitter, na noite de quarta-feira (12), Musk antecipou a vitória dizendo que a proposta do pacote de remuneração e outra pedindo aos acionistas para mover a sede legal da Tesla para o Texas estavam vencendo por “margens amplas”.

O acordo de compensação recorde foi criticado por seu tamanho e pela maneira como foi concedido. Em janeiro, um juiz de Delaware ordenou que todo o plano — agora avaliado em aproximadamente US$ 48 bilhões — fosse rescindido, dizendo que o processo foi profundamente falho devido aos laços estreitos de Musk com vários membros do conselho. O tribunal também disse que a Tesla não conseguiu provar que os acionistas foram suficientemente informados sobre o acordo.

A nova aprovação pelos acionistas na quinta-feira não substitui a decisão do juiz, mas dá aos advogados da Tesla alguma vantagem para desafiar o veredicto. A Tesla está tentando convencer o tribunal de Delaware a reverter a decisão e também prometeu apelar da decisão.

Leia a seguir

Leia a seguir

Especialistas jurídicos dizem que a empresa poderia peticionar ao juiz para reconsiderar sua decisão, argumentando que as preocupações do tribunal foram apresentadas aos acionistas e eles ainda assim apoiaram o pacote.

Batalha nos tribunais

Em um documento regulatório em abril, a Tesla disse que esperava que a ratificação dos acionistas resolvesse as preocupações levantadas pelo tribunal, incluindo a que a Tesla falhou em divulgar adequadamente detalhes importantes do pacote aos investidores.

A aprovação dos acionistas para mudança da sede legal da Tesla de Delaware para o Texas adiciona outra complicação, já que um novo caso poderia ser apresentado contra o pacote de remuneração no Texas. E esse caso poderia ter precedência se decidido antes do recurso de Delaware ser julgado.

A juíza de Delaware Kathaleen McCormick, que está supervisionando o caso, recentemente pareceu rejeitar essa ideia. A magistrada disse que interpretou uma comunicação recente da Tesla como um sinal de que eles “não planejam litigar qualquer questão relacionada a esta ação em nenhum outro lugar além de Delaware”.

O pacote de remuneração de Musk foi contestado em 2018 quando o acionista da Tesla Richard Tornetta processou a empresa. Tornetta, que possuía nove ações na empresa, alegou que o executivo-chefe controlou o processo de aprovação de seu próprio plano de compensação e que o conselho havia enganado os acionistas, que então o aprovaram.

Advogados da Tesla e do acionista são esperados para se reunir no início de julho com o juiz. A votação também criou novos desafios legais para a Tesla, incluindo o de um acionista que processou a companhia na semana passada, acusando Musk de coagir investidores a votar a favor de seu acordo de compensação.

Antes da votação, a presidente do conselho da Tesla, Robyn Denholm, e outros diretores tentaram reunir apoio dos acionistas, dizendo que Musk merecia seu pagamento por atingir metas financeiras difíceis e que a empresa deveria honrar os termos de um acordo de 2018.

Além de buscar conquistar investidores institucionais, a Tesla se dirigiu ao seu grande número de acionistas individuais. Investidores individuais são menos propensos a votar em uma reunião de acionistas, então a Tesla recorreu às redes sociais para incentivá-los a votar e ofereceu “tours” pela fábrica como um incentivo.

Os negócios de Elon Musk

Cerca de 45% dos acionistas da Tesla são investidores institucionais, uma porcentagem relativamente baixa em comparação com as maiores empresas que compõem o topo do índice S&P 500.

Alguns acionistas proeminentes, incluindo Nordea Asset Management e o Sistema de Aposentadoria de Funcionários Públicos da Califórnia, se opuseram publicamente à reaprovação.

Duas firmas de consultoria, Institutional Shareholder Services e Glass Lewis, também se posicionaram contra a ratificação, dizendo que o plano de compensação falhou em garantir que Musk prestasse mais atenção à Tesla do que a seus outros empreendimentos.

Musk lidera outros negócios, incluindo a fabricante de foguetes SpaceX, a rede social X e uma startup de inteligência artificial chamada xAI, que recentemente levantou US$ 6 bilhões.

Outros acionistas da Tesla apoiaram a reaprovação, como a ARK Investment Management e o investidor bilionário Ron Baron.

“Como os acionistas podem renegar seu pacote de remuneração depois que Elon e os acionistas já assumiram e superaram os riscos associados à ascensão da Tesla para produzir o carro mais vendido do mundo?”, escreveu a CEO da ARK, Cathie Wood, em uma postagem no X na semana passada.

O pacote de remuneração não convencional não inclui um salário e, em vez disso, compensa Musk com 12 tranches de opções de ações, cada uma delas vinculada a marcos de desempenho que a empresa precisa atingir.

Valor de mercado da Tesla

Quando o pacote foi aprovado em 2018, os objetivos pareciam ambiciosos para uma empresa que então estava perdendo dinheiro. Além de atingir vários limiares de lucro e receita, o plano exigia que Musk aumentasse o valor de mercado da empresa de pouco menos de US$ 60 bilhões em 2018 para mais de US$ 650 bilhões.

Desde então, Musk conseguiu transformar a Tesla, antes uma startup sem lucro, na inveja da indústria automotiva, com margens de lucro superiores às das empresas de automóveis tradicionais.

A empresa atingiu o último dos marcos de desempenho em 2022. Enquanto todas as 12 tranches — totalizando 303 milhões de ações — estão totalmente disponíveis, Musk ainda não exerceu nenhuma das opções.

Musk possui cerca de 13% da Tesla, e as ações do pacote de remuneração poderiam aumentar essa participação para mais de 20%. Musk disse que gostaria de controlar 25% da empresa enquanto ela se prepara para investir pesadamente em sua próxima aposta de crescimento: inteligência artificial e carros autônomos.

Denholm argumentou que uma rejeição dos acionistas resultaria em um novo acordo de prêmio de ações mais caro para Musk. A empresa disse que emitir o mesmo número de ações para Musk hoje poderia resultar em um encargo de US$ 25 bilhões nos livros da Tesla, em comparação com US$ 2,6 bilhões em 2018, porque as ações são avaliadas com base no dia em que são concedidas.

Musk criticou Delaware e seu sistema judicial após a decisão e disse que as empresas deveriam estabelecer sua sede legal em outros Estados.

“Se sua empresa ainda está em Delaware, recomendo mudar para outro Estado o mais rapidamente possível”, disse Musk em uma postagem no X em fevereiro, anunciando que a SpaceX havia se transferido para o Texas.

Com informações do Valor Econômico