Musk conclui transformação do X para se distanciar da marca Twitter

Mudança veio após um ano e meio do empresário ter finalizado a sua aquisição de US$ 44 bilhões do Twitter, ao privatizar a empresa e demitir uma série de executivos de alto escalão

Elon Musk disse, nesta sexta-feira (17), que sua rede social, antigamente conhecida como Twitter, concluiu a transformação para X, com o endereço do site agora chamando “X.com”.

A mudança veio após um ano e meio de Musk ter finalizado a sua aquisição de US$ 44 bilhões do Twitter, ao privatizar a empresa e demitir uma série de executivos de alto escalão, enquanto ele mesmo tomava o posto de diretor-executivo — também conhecido como CEO.

Musk afirmou, em um post na rede social, na manhã desta sexta-feira, que “todos os sistemas principais estão agora em X.com”. Agora, uma mensagem aparece no botão de login, dizendo que o endereço do site mudou, e as configurações de privacidade e proteção de dados permanecem inalteradas.

O bilionário presidente da Tesla, há muito tempo conhecido por ser um dos usuários mais proeminentes do Twitter, divulgou em abril de 2022 que detinha 9,2% das ações. O que o tornava um dos maiores acionistas da empresa.

No mês seguinte, Musk fez uma oferta para comprar e fechar o capital da plataforma, com US$ 54,2 por ação. O Twitter, por sua vez, aceitou o negócio, somente para Musk recuar no mês depois e declarar que o acordo estava “temporariamente em pausa”, devido à preocupação de contas falsas na plataforma.

Entre junho e julho, o bilionário tentou abandonar o acordo, o que levou o Twitter a dar entrada a uma ação judicial para forçar a venda nos termos do acordo original.

Musk, portanto, aumentou sua oferta original, em outubro de 2022, de US$ 54,2 por ação. A compra foi concluída semanas depois, dando sequência à demissão em massa de uma parcela significativa de trabalhadores, com a justificativa de corte de custos.

Musk atuou como diretor-executivo do site até junho de 2023, quando assumiu o cargo de diretor de tecnologia e entregou as rédeas à Linda Yaccarino.

Desde então, a plataforma sofreu várias alterações no design, funcionalidade e moderação de conteúdo, que despertou críticas dos usuários.

Com informações do Valor Pro, serviço de notícias em tempo real do Valor Econômico