Itaú BBA vê Grupo Mateus (GMAT3) melhor que outras varejistas de alimentos

Companhia informou lucro líquido de R$ 240 milhões no primeiro trimestre, alta anual de 20,3%

O Grupo Mateus (GMAT3) registrou lucro líquido de R$ 240 milhões no primeiro trimestre de 2023, avanço de 20,3% ante igual período do ano passado. A receita líquida da rede de varejo alimentar somou R$ 5,86 bilhões no período, crescimento de 28,2% na base anual.

O lucro bruto do trimestre totalizou R$ 1,2 bilhão, o que representa um aumento de 21,3%, com margem bruta de 21,1% no período. O Grupo Mateus viu as despesas com vendas e administrativas avançarem, somadas, 20,2% no período, para R$ 883,4 milhões.

O resultado financeiro ficou negativo em R$ 72,7 milhões, um aumento de 150,3% em relação aos R$ 29 milhões também negativos dos primeiros três meses de 2022.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) chegou a R$ 411 milhões nos primeiros três meses de 2023, 36,1% acima do observado um ano antes. A margem do Ebitda subiu 0,4 ponto, a 7%.

A varejista encerrou março com dívida líquida de R$ 135,7 milhões, contra um endividamento de R$ 425 milhões reportados em março de 2022. A alavancagem, medida pela razão entre dívida líquida e Ebitda, ficou caiu de 0,4 vez no ano passado para 0,1 vez em março deste ano.

Os investimentos somaram R$ 234,3 milhões de janeiro a março de 2023, uma queda de 27,7% em comparação com o valor investido no primeiro trimestre do ano passado.

A varejista destaca que foram inauguradas 6 lojas, 4 Atacarejos e 2 Eletros, com um crescimento de área de vendas de 14,6%. Ao final do trimestre, o Grupo Mateus operava 238 lojas.

‘Resultados robustos’

O Grupo Mateus apresentou resultados robustos no primeiro trimestre, com melhora na lucratividade e tendências de capital de giro mais saudáveis, superando o desempenho de outras varejistas de alimentos, diz o Itaú BBA.

Os analistas liderados por Thiago Macruz escrevem que o agressivo plano de expansão da companhia causou uma retração na margem bruta, mas diluição de custos fixos ajudou a margem Ebitda a ficar acima do esperado.

As receitas líquida de R$ 5,9 bilhões ficaram dentro do esperado, mas as vendas mesmas lojas em 11,3% superou expectativas. Todas as linhas de negócios da empresa apresentaram bom desempenho operacional.

“Vemos boas perspectivas para o Grupo Mateus tanto no curto quanto no longo prazo, incluindo boa dinâmica do setor, melhorias no capital de giro e ganhos de alavancagem operacional”, comentam.

O Itaú BBA tem recomendação de compra para Grupo Mateus, com preço-alvo em R$ 9, potencial de alta de 50,5% sobre o fechamento de quarta-feira (10).