Petrobras leva Ibovespa a 120 mil pontos, mas será que o principal índice da bolsa sustenta a alta?

Ibovespa está em tendência de alta e pode subir mais quando os juros começarem a cair, afirmam analistas

O Ibovespa renovou mais uma vez o pico do ano na sessão da quarta-feira – acima da marca de 120 mil pontos no fechamento pela primeira vez desde 4 de abril de 2022. Os ganhos acima de 4% das ações da Petrobras sustentaram o desempenho.

A companhia avançou entre 4,19% (PETR4) e 3,99% (PETR3), após bancos como Goldman Sachs e Santander terem elevado a recomendação da estatal para compra. A isso somaram-se aumentos acima de 1% dos preços do petróleo e relatos de fluxo estrangeiro para as ações da empresa em meio à queda de 0,60% do dólar ante o real, que levou a moeda americana a encerrar o dia cotada a R$ 4,7678.

“Quem sustentou o Ibovespa foi a Petrobras, com um alta de 4%, em virtude de algumas casas estrangeiras terem recomendado compra”, afirma o chefe de renda variável da Veedha Investimentos, Rodrigo Moliterno. “Junto a isso, o setor bancário tem uma performance também boa”, completa o analista, que atribui a alta do setor à expectativa por uma sinalização de corte dos juros.

O segmento financeiro foi um dos destaques positivos da sessão de quarta (21), com alta de 0,80%, sustentada por Banco do Brasil ON (+3,15%) e BTG Pactual Unit (+1,21%). Outros setores sensíveis aos juros também encerraram a sessão em alta, a exemplo do imobiliário (+2,04%) e de consumo (+0,60%), puxados respectivamente por Aliansce Sonae ON (+3,13%) e por Ambev ON (+0,92%).

O desempenho do Ibovespa só acabou contido pelo setor de materiais básicos, que cedeu 1,34%, refletindo a redução de 0,99% dos preços do minério de ferro na China e os temores de que o governo do gigante asiático possa conceder menos estímulos do que seria necessário para estimular a economia. Com isso, Vale ON encerrou o dia em queda de 1,01%, Usiminas PNA perdeu 1,22% e Gerdau PN recuou 0,81%.

Profissionais do mercado afirmam que a Bolsa brasileira tem potencial de continuar em tendência de alta, mas que os resultados dos próximos dias vão depender das sinalizações dadas pelo Banco Central. Os analistas aguardam sinais sobre os próximos passos da política monetária.

“O Ibovespa está numa boa tendência de alta e pode subir muito mais quando os juros começarem efetivamente a ser cortados, mas o fato de ter uma clareza maior de que os juros serão reduzidos à frente já pode fazer o mercado manter uma performance positiva”, diz Moliterno, da Veedha.

Com informações do Estadão Conteúdo