Ibovespa precisa superar 129 mil pontos para engatar recuperação consistente, diz Itaú BBA

O relatório concluiu que o índice pode retomar o movimento de alta se aproveitar o bom momento das bolsas norte-americanas

O Ibovespa, na sessão que abriu a semana, recuou 0,36%, mas manteve a região dos 128 mil pontos. Por isso, em relatório divulgado nesta terça-feira, Fábio Perina e equipe do Itaú BBA avalia que o índice Bovespa “ainda está próximo à resistência em 129.100/400 pontos”.

Assim, ainda de acordo com o documento, o mercado “precisa superar essa região, para engatar uma recuperação mais consistente que poderá levar o índice aos níveis de 132.000 e a máxima de dezembro, em 134.400 pontos”.

Dessa forma, o relatório ainda analisa o índice sob o viés de baixa e informa que a região de 126, 4 mil pontos continua a ser um sinal de alerta para o investidor.

“Se perder esse suporte, o índice sairá da tendência de alta e encontrará próxima importante região em 124.800 pontos, outro ponto crucial que se perdido, poderá dar início a primeira tendência de baixa de curto prazo em 2024”, analisa o documento.

Assim, o relatório concluiu que o índice pode retomar o movimento de alta se aproveitar o bom momento das bolsas norte-americanas.

Ibovespa: uma análise sobre Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4)

Então, o relatório divulgado pelo Itaú BBA ainda faz a análise de algumas ações. Separamos as observações sobre as duas principais da bolsa de valores: Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4).

Assim, sobre o papel de Vale, o documento informa: “O pregão de ontem fez com que as ações de VALE3
distanciassem do importante suporte de 67,10, região que se vier a ser perdida colocará pressão vendedora no curto prazo. Mesmo com o pregão sinalizando recuperação, a ação não acionou gatilhos para compras, e para que isso aconteça, será necessário superar o topo deixado em 70,80. Os alvos para esse possível movimento de alta serão em 74,50 e 78,15.”

Dessa maneira, no caso da Petrobras, a análise é mais otimista: “PETR4 está em tendência de alta. No pregão anterior a ação acionou novo ponto de compra, e dessa vez foi ao superar a resistência de 40,09 – antigo topo histórico. Os alvos projetados serão em 44,15 e 47,45. No lado da baixa, o ativo encontrará suportes em 37,20 e 36,00 – patamar que sustenta a tendência para a ação.”