Hapvida (HAPV3) tem prejuízo líquido de R$ 161 mi no 2º tri; veja o que afetou o resultado

A empresa fechou o período com 85 hospitais, 77 unidades de pronto atendimento, 331 clínicas e 271 unidades de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial

A Hapvida (HAPV3) registrou prejuízo líquido de R$ 161,1 milhões no segundo trimestre de 2023, ante perdas de R$ 312,3 milhões um ano antes, um recuo de 48,4%.

No critério ajustado, a companhia teve lucro líquido de R$ 221,6 milhões, queda de 8% ante igual intervalo de 2022.

O Ebitda ajustado ficou em R$ 606,2 milhões, crescimento de 4,1% na comparação anual. A margem ficou em 8,9%, recuo de 0,7 ponto porcentual na mesma base.

Já a receita líquida somou R$ 6,839 bilhões entre abril e junho de 2023, 12,4% acima do segundo trimestre de 2022.

Segundo a Hapvida, em seu release de resultados divulgado na quarta-feira (9), o aumento da receita foi beneficiado “pelo crescimento da linha de negócio de planos de saúde, resultado da estratégia de reajuste e recomposição de margem apesar da redução do número de beneficiários”.

O resultado financeiro líquido no trimestre encerrado em junho ficou negativo em R$ 246,9 milhões, queda anual de 4,8% e trimestral de 42,6%.

Segundo a companhia, as despesas financeiras reduziram R$ 22,3 milhões, passando de R$ 623,6 milhões no primeiro trimestre para R$ 601,4 milhões entre abril e junho, destacando-se principalmente as reduções de R$ 19,1 milhões de instrumentos derivativos.

A companhia atingiu R$ 5,3 bilhões de dívida líquida frente a R$ 7,5 bilhões (2,32x Ebitda) no encerramento de março, principalmente em razão de recebimentos de R$ 1,2 bilhão da operação de Sales & Leaseback e de R$ 1 bilhão da captação líquida do follow-on.

A alavancagem ficou em 1,61x, 0,71 ponto porcentual (p.p.) menor que no trimestre anterior.

Operacional

A Hapvida encerrou o segundo trimestre do ano com 85 hospitais, 77 unidades de pronto atendimento, 331 clínicas e 271 unidades de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial, totalizando assim 764 pontos de atendimento próprios acessíveis aos beneficiários em todas as cinco regiões do país.

No período, foram inaugurados o Hospital Lifecenter Contagem e o Pronto Socorro Autônomo do Contorno, ambos no estado de Minas Gerais, além de novas salas TEA dentro de diversos Centros Clínicos.

O número de beneficiários de planos de saúde ao fim de junho apresentou aumento de 1,2%, passando de 8,9 milhões para 9 milhões, com ticket médio mensal consolidado variando de R$ 218,4 para R$ 245, avanço de 12,2%.

Nos planos odontológicos, a Hapvida teve aumento de 5,3% no número de beneficiários, passando de 6,8 milhões a 7,1 milhões. O ticket médio mensal permaneceu estável, em R$ 9,8.

Com informações do Estadão Conteúdo