Serviços crescem 1,1% em fevereiro e 7,8% em 12 meses

Volume do setor já cresce acima do patamar pré-pandemia em mais de 10%

Após queda em janeiro, o volume de serviços prestados no país subiu 1,1% em fevereiro, frente a janeiro, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgados nesta quinta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em janeiro, houve recuo de 3% (após revisão de dado divulgado inicialmente como retração de 3,1%). O indicador tinha atingido o ponto mais alto de sua série histórica em dezembro de 2022. Na comparação com fevereiro de 2022, o indicador teve alta de 5,4%. O crescimento no resultado acumulado em 12 meses até fevereiro foi de 7,8%.

Serviços superam patamar pré-covid em mais de 10%

A alta nos serviços com ajuste sazonal foi maior que a mediana das estimativas de 26 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data, de alta de 0,5%. O intervalo das projeções ia de -1% a +2,2%. Já a expectativa mediana para o resultado de fevereiro de 2023 frente a fevereiro de 2022 era de alta de 5%, com crescimento entre 3,5% e 7,7%.

Com o desempenho de fevereiro, os serviços estão em patamar 11,5% superior ao do pré-pandemia, em fevereiro de 2020, e 2% abaixo do ponto mais alto da série histórica, atingida em dezembro de 2022.

O IBGE informou ainda que a receita nominal subiu 2% na passagem entre janeiro e fevereiro. Na comparação com fevereiro de 2022, a receita de serviços teve alta de 11,8%.

Em fevereiro, frente a janeiro, 20 das 27 unidades da federação apuradas registraram taxas positivas, com destaque para Mato Grosso (7,7%) e Pernambuco (6,1%), seguidos por Pará (7,2%), Minas Gerais (0,8%) e Paraná (0,8%).

Já as principais influências negativas vieram de São Paulo (-0,1%), Distrito Federal (-1,7%) e Rio Grande do Sul (-0,8%).

Pesquisa do IBGE incluiu streaming e delivery

A divulgação de fevereiro é a segunda da Pesquisa Mensal do Serviços (PMS) após a reestruturação das pesquisas conjunturais do IBGE, que significa também a divulgação de uma nova série histórica, com o encadeamento entre a nova pesquisa e a antiga.

A atualização da pesquisa, que ocorre de forma periódica na rotina do IBGE, inclui uma nova amostra de empresas, inclusão e exclusão de atividades e alterações nos pesos dos produtos, entre outras mudanças. Na Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), foram incluídas empresas de delivery, de aplicativos de transporte e de streaming de música e de filmes/séries, por exemplo, que não estavam antes. A nova amostra contempla 11.124 empresas.

Leia a seguir

Leia a seguir