Semana tem negociações decisivas sobre PEC da Transição

Nos próximos dias, deve-se definir o tamanho efetivo do Orçamento que ficará fora do teto de gastos e por quanto tempo

A semana que começa deve ter decisões importantes sobre a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) da Transição, que está em negociação entre a equite que prepara o novo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o Congresso Nacional.

A minuta da PEC, apresentada aos líderes da Câmara dos Deputados e do Senado na noite de quarta (16), causou bastante apreensão entre os investidores por estimar em R$ 198 milhões o valor que a adninistração Lula pretende gastar em 2023 acima do permitido pelas atuais regras, o chamado teto de gastos. A PEC tem como principal objetivo acomodar promessas da campanha do presidente eleito, como a manutenção do Auxílio Brasil (rebatizado de Bolsa Família) em R$ 600 e o aumento do salário mínimo acima da inflação a partir de 2023.

As críticas são de que o montante é alto demais – segundo especialistas, para bancar os benefícios sociais R$ 70 milhões seriam suficientes, mas a proposta está incluindo outros gastos, como investimentos a serem feitos com uma parte de eventual arrecadação extra, estimada em R$ 22 bilhões, e os recursos que entrarem para o combate à crise climática.

Os gastos além do que o governo arrecada precisam ser financiados com dívida. O Tesouro Nacional emite mais títulos para vender a investidores. Quanto mais essa dívida cresce, porém, mais preocupados esses credores ficam com a capacidade de o Brasil honrar tais compromissos, por isso pedem remuneração cada vez maior, para compensar o risco. O retorno vem na forma de juros.

Juros altos são bons para quem investe em renda fixa, como os títulos do Tesouro. São ruins para a atividade econômica, pois desencorajam os investimentos produtivos feitos pelos empreendedores e as compras parceladas dos consumidores. A atividade econômica depende essencialmente de crédito para acontecer.

Há também os investidores que preferem não correr esse risco e tiram seu dinheiro do Brasil, o que faz a cotação do dólar ante o real se elevar. Muitos produtos têm os seus preços definidos internacionalmente, na moeda americana. Se o dólar sobe, a soja sobe junto, as carnes também, o trigo… Gastar demasiadamente causa um efeito dominó negativo em toda a economia, portanto.

Nos próximos dias, deve-se definir o tamanho efetivo do Orçamento que ficará fora do teto e por quanto tempo.

Como afeta os investimentos?

Até que o texto final da PEC seja definido e votado, é provável que os preços das ações na Bolsa e do dólar fiquem instáveis.

Agenda da semana

Segunda-feira (21)

  • 8h25 – Brasil: Boletim Focus

Terça-feira (22)

  • 13h – EUA: Discurso de Loretta Mester, presidente da sucursal Cleveland e membro do comitê de política monetária do Fed
  • 16h15 – EUA: Discurso de Esther George, presidente da sucursal Kansas City e membro do comitê de política monetária do Fed
  • 16h45 – EUA: Discurso de Jim Bullard, presidente da sucursal Saint Louis e membro do comitê de política monetária do Fed
  • 18h30 – EUA: Estoques de petróleo bruto

Quarta-feira (23)

  • 6h – Zona do Euro: PMIs industrial, de serviço e composto da S&P Global (novembro)
  • 10h – EUA: Licenças de construção (mensal)
  • 10h30 – EUA: Pedidos de seguro-desemprego (semanal), pedidos de bens duráveis (outubro)
  • 11h45 – EUA: PMIs industrial, de serviço e composto da S&P Global (novembro)
  • 12h – EUA: Vendas de casas novas
  • 16h – EUA: Ata da reunião do comitê de política monetária do Fed

Quinta-feira (24)

  • S/h – EUA: Feriado de Ação de Graças
  • 9h – Brasil: IPCA-15 (novembro)
  • 9h30 – Zona do Euro: Ata da reunião do comitê de política monetária do Fed

Sexta-feira (25)

  • A partir das 13h – EUA: Mercado fechado por Ação de Graças