PMI: Serviços têm maior crescimento em um ano nos Estados Unidos, diz S&P Global

PMI de Serviços mostra que alta na confiança dos consumidores nos EUA levou setor a crescimento recorde em um ano, para 54,9 pontos percentuais.

O PMI de Serviços dos Estados Unidos, que mede a inflação e a expansão do setor na economia americana, teve a maior alta desde abril de 2022, de acordo com a S&P Global, responsável pelo índice. O setor cresceu para 54,9 pontos percentuais em maio, em linha com a expectativa do mercado de 55,1. O indicador foi puxado pelo aumento de novos negócios e por uma guinada positiva da confiança de consumidores.

A S&P Global nota que houve alta também na abertura de novas empresas, movimento favorecido pelo reforço na demanda do mercado norte-americano, assim como por condições favoráveis no ramo das exportações. A firma global destaca que a confiança dos empresários norte-americanos no setor é a mais alta em 12 meses.

Confiança do consumidor puxa alta dos serviços nos EUA

O custo de produção dos serviços nos EUA diminuíram suavemente desde abril, explica o relatório da PMI do setor. Ao mesmo tempo, o preço de oferta ao varejo também diminuiu e tem impacto positivo na inflação, “que, mesmo assim, permanece alta”, diz a S&P Global.

“A recente reviravolta na atividade em negócios registrou a quarta alta mensal consecutiva, com o ritmo de expansão acelerando para o patamar mais alto desde abril de 2022”, diz.

Para a alta recorde dos serviços, a confiança do consumidor foi um fator importante. Companhias notaram que os americanos aumentaram sua disposição para consumo, o que balizou novas encomendas para o setor.

Além disso, nota a S&P, novos pedidos de exportação aumentaram pela primeira vez em um ano, e “em ritmo sólido”.

Inflação de serviços cai em maio, mas continua alta, diz S&P

Ao mesmo tempo, empresas de serviços registraram mais uma alta nos custos de produção. Isso porque os preços praticados por fornecedores aumentaram e oneraram as cadeias do setor. Outro fator foi o aumento nos salários de funcionários, além de pressões para reajustes.

Apesar da pressão por aumento salarial, o setor de serviços aumentou o contingente da força de trabalho em maio, destaca a S&P. Ao consolidar os dados do PMI com os de payroll, índice de empregabilidade dos EUA, o ritmo de novos empregos em serviços foi o mais rápido desde agosto de 2022.

Por fim, a pressão inflacionária do PMI de serviços foi de queda em maio. As empresas de manufatura registraram a primeira queda de custo de produção em três anos. O custo para crescimento de empresas de serviços também diminuiu, apesar de permanecer alto, frisa a S&P Global.