Saiba em quantos países você consegue entrar apenas com o passaporte brasileiro

Conheça a lista dos passaportes mais e menos poderosos do mundo em 2023

O Henley Passport Index, o ranking que classifica quais passaportes do mundo dão acesso a mais destinos sem necessidade de visto prévio, foi divulgado na terça-feira (18) pela organizadora Henley&Partners.

Depois de cinco anos, o Japão perdeu o primeiro posto, que foi conquistado pelo passaporte de Cingapura, o qual permite aos cidadãos visitar 192 destinos de viagem, de um total de 227, em todo o mundo sem visto prévio.

O segundo lugar é ocupado por Alemanha, Itália e Espanha, com 190 destinos na lista.

Já o anteriormente vitorioso Japão agora se junta a outras seis nações – Áustria, Finlândia, França, Luxemburgo, Coreia do Sul e Suécia – em 3º lugar, com 189.

O Reino Unido voltou para o 4º posto, depois de seis anos. Os Estados Unidos, por outro lado, deram sequência a uma queda contínua no índice, caindo mais duas posições para o 8º lugar – em 2014, o país era o vitorioso.

O passaporte brasileiro ficou na 19º posição, podendo visitar 168 países sem a necessidade de emitir um visto prévio para entrar no território.

O passaporte nacional abre portas para nações como Suíça, França, Espanha, Noruega, Bahamas, Maldivas, Coreia do Sul, Indonésia, Catar, Tunísia, Líbano, Nova Zelândia e outras centenas, além dos nove que também integram o Mercosul: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

O índice é baseado em dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), que é considerado o maior banco de dados e informações sobre viagens. Ele compara o acesso sem visto de 199 passaportes diferentes a 227 possibilidades de viagem.

Se nenhum visto for necessário, um ponto é dado ao passaporte. O mesmo se aplica se for possível obter um visto na chegada, uma permissão de visitante ou uma autoridade eletrônica de viagem (ETA) ao entrar no destino.

Segundo os organizadores, a tendência geral ao longo da história do ranking, que é feito há 18 anos, tem sido em direção a uma maior liberdade de viagem, com o número médio de destinos que os viajantes podem acessar sem visto quase dobrando de 58 em 2006 para 109 em 2023.

A diferença de mobilidade entre os que estão no topo e no fim do índice, agora, é a maior já registrada, com Cingapura capaz de acessar 165 destinos a mais sem visto do que o Afeganistão, que leva a somente 27 lugares sem a documentação.

Além do Afeganistão, os países que ocupam a base do ranking com a menor pontuação são Iraque e Síria, que levam a 29 e a 30 nações sem visto, respectivamente.

Confira os 25 primeiros lugares:

Cingapura (192 países)

Alemanha, Itália e Espanha (190)

Áustria, Finlândia, França, Japão, Luxemburgo, Coreia do Sul e Suécia (189)

Dinamarca, Irlanda, Holanda e Reino Unido (188)

Bélgica, República Checa, Malta, Nova Zelândia, Noruega, Portugal, Suíça (187)

Austrália, Hungria e Polônia (186)

Canadá e Grécia (185)

Lituânia e Estados Unidos (184)

Letônia, Eslováquia e Eslovênia (183)

Islândia e Estônia (182)

Liechtenstein e Malásia (180)

Chipre e Emirados Árabes Unidos (179)

Bulgária, Mônaco e Romênia (176)

Croácia (175)

Chile (174)

San Marino (172)

Andorra e Hong Kong (170)

Argentina (169)

Brasil (168)

Brunei (166)

Barbados (163)

Israel e México (158)

Bahamas (156)

Seychelles e São Cristóvão e Nevis (155)

Cidade do Vaticano e São Vicente e Granadinas (154)

Com informações do Estadão Conteúdo