Morre Eduardo Sanovicz, ex-presidente da Embratur e da Abear

Ele foi também um dos fundadores da Associação Brasileira das Empresas Aéreas. Nas redes, Lula lamentou perda

Morreu neste sábado, 2, aos 63 anos, Eduardo Sanovicz, ex-presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) e um dos fundadores da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). O executivo enfrentava um câncer no pâncreas. O corpo será velado e cremado na tarde de hoje no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos (SP).

Além de ser um dos fundadores da Abear, Sanovicz presidiu a entidade entre 2012 e maio de 2023. Apesar de ter deixado o comando da associação, ele continuava no cargo de presidente executivo do conselho deliberativo.

Graduado em história, doutor em ciências da comunicação e professor do curso de turismo da USP, Sanovicz liderou a Embratur entre 2003 e 2006, no primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva. No período, foi responsável pela elaboração da Marca Brasil, que é utilizada pelo órgão atualmente.

Em seus perfis nas redes sociais, o presidente Lula lamentou a morte de Sanovicz: “Durante toda a sua vida trabalhou pelo desenvolvimento do país de forma inclusiva e democrática.”

Antes da Embratur, o executivo foi diretor de Turismo da cidade de Santos, em 1993. À época, implementou planos de recuperação do turismo na cidade. Entre 1997 e 2000, foi diretor do São Paulo Convention & Visitors Bureau, atualmente conhecida como Visite SP. De 2001 a 2003, foi presidente da Anhembi Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo, atual SP Turis.

Sanovicz foi também diretor da Reed Exhibitions Alcantara Machado, unidade brasileira da então maior empresa mundial de promoção e organização de feiras e eventos. Nessa época, foi eleito vice-presidente da ICCA (International Congress & Convention Association), entidade global do setor de eventos.

Este ano, quando celebrou 30 anos de trabalho dedicados ao setor, ele afirmou que via o turismo como forma de redução da pobreza. “Só acredito no turismo como forma de reduzir a miséria e a pobreza nesse País. A gente precisa entender para o que serve o nosso trabalho. Com isso, a qualidade de entrega pode ser muito melhor. Para crescermos (como país), precisamos que todo cidadão brasileiro tenha café, almoço, jantar, casa, saúde e educação, senão podemos parar por aqui mesmo. Na minha cabeça é para isso que a gente funciona.”

Sanovicz deixa esposa, três filhas e um filho.

Com informações do Estadão Conteúdo