Três montadoras já desistiram de layoff após anúncio de medidas para desonerar impostos, revela Anfavea

Presidente do órgão explica que efeito da desoneração de impostos federais é imediato

O efeito da desoneração dos três impostos federais (PIS, Cofins e IPI) sobre os carros anunciada nesta quinta-feira, 25, pelo governo é imediato, disse no período da tarde desta quinta o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Márcio Lima Leite.

Tanto é imediato que, de acordo com Leite, três montadoras já informaram à associação nesta quinta que desistiram de colocar em prática a suspensão de contratos de trabalho (layoff) que estavam previstas.

“Apenas agora, neste momento, nós tivemos notícias de três fábricas que suspenderam lockdowns que estavam previstos. Então o efeito é imediato e por isso a urgência destas medidas. Na nossa avaliação, isso contribui sim para a redução das paralisações nas fábricas”, disse o presidente da Anfavea.

A declaração foi dada no “Dia da Indústria”, evento na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que contou, nesta quinta-feira, ainda com as presenças do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Lula, do vice-presidente, Geraldo Alckmin, e do ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

Leite não quis dar os nomes das três montadoras sob a alegação de que elas não o teria autorizado a identificá-las. Sabe-se que a Volkswagen, que tinha cogitado a possibilidade de suspender contratos com seus funcionários, mesmo antes do anúncio da desoneração dos carros, havia postergado para o mês que vem.

O executivo disse também que nesta quinta, durante reunião do setor com o presidente Lula, teria sido discutido a questão do emprego nas montadoras e sua relevância para a economia, mas não há nenhum compromisso de manutenção dos postos de trabalho por parte das empresas.

Por Estadão Conteúdo