Lula pede Banco do Brasil ‘campeão de crédito consignado’

Na posse da nova presidente do BB, o mandatário cobrou ainda uma atenção especial ao pequeno e médio agricultor

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na segunda-feira que quer o Banco do Brasil “campeão de crédito consignado”. Na posse da nova presidente da instituição, Tarciana Medeiros, Lula pediu que a instituição “faça a sua parte” para incluir o pobre na economia, uma meta de seu governo. E defendeu que, além dos “bilhões, bilhões e bilhões” distribuídos em financiamento ao agronegócio, o banco também dê uma atenção especial ao pequeno e médio agricultor.

“A minha conta agora vai ser do Banco do Brasil. E quero que a gente seja o campeão de crédito consignado”, disse Lula. “O pobre neste país não é o problema. Ele é a solução na medida em que ele é incluído na economia. Nós vamos incluir o pobre na economia, e queremos que o BB faça a sua parte.”

Dirigindo-se a Tarciana, Lula delegou a ela “missões” à frente da instituição, dentre as quais fazer com que o banco dê lucro, sem esquecer de “dar um aumento de vez em quando” para os funcionários.

“Você tem duas missões aqui. Primeiro é tratar bem os seus companheiros, 85 mil pessoas que trabalham aqui. Continue sendo a mulher que você foi quando era feirante. A segunda coisa é cuidar do povo que mais necessita. O BB é um dos grandes financiadores do agronegócio, financia bilhões e bilhões. Mas no meu tempo financiava também o pequeno e médio produtor pelo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar)” disse.

“Você tem que ter em conta de que o banco não deve ter prejuízo. O banco tem que ter rentabilidade. Mas tem que dar um aumento de vez em quando para os seus funcionários. Senão, eles fazem greve contra você.”

Lula lembrou ainda a bancarização promovida por ele durante seus dois primeiros mandatos.

“Muitas vezes, o povo mais humilde não tem a chance sequer de entrar num banco. Nós fizemos bancarização de 70 milhões de pessoas quando assumimos. Tinha tente que nunca tinha entrado num banco”, afirmou. “Com esse gesto simples, que para muita gente é banal, eu vi muitas vezes catadores de papel chorar porque nunca tinha tido conta num banco, nunca tinha assinado um cheque. Eu acho que hoje o único cara que tem cheque sou eu ainda”, brincou.

Lula também mencionou a ex-presidente Dilma Rousseff para lembrar que esta é a primeira vez que uma mulher assume o comando do BB em mais de 200 anos de história.

“Eu sabia que seria a primeira pessoa a indicar uma presidenta da República do país. Eu sei o quanto custou o preconceito. […] Tudo isso resultou na queda da presidenta Dilma Rousseff”, disse Lula.

“Eu fico estarrecido em saber que em 200 anos você é a primeira mulher a chegar à presidência do banco.”

Ele defendeu ainda que o governo se empenhe em aprovar no Congresso um projeto de lei que assegura que “a mulher e o homem recebam salário igual quando exercerem a mesma função”.

Ao citar a posse de uma mulher na presidência, Lula disse que “não é pouca coisa o que está acontecendo hoje no Banco do Brasil”.

“Por que durante tantos e tantos anos as mulheres não fizeram por merecer ser presidente do BB?“, questionou. “O que este cargo tem de tão especial que ele só pode ser exercido por homens?”

Lula elogiou a nova presidente, que momentos antes fez um discurso emocionado citando sua família e sua história humilde.

“Tarciana, você não foi achada, você foi construída por gente que cuidou de você desde que você veio à tona neste mundo dos humanos. Se você fosse uma árvore, você seria um dos belos frutos que a árvore tua mãe produziu”, disse. “Você representa uma pessoa que venceu todos os obstáculos, porque teve o apoio da tua família. Você fez coisas que muita gente achava impossível ser feitas por uma mulher com o apoio da sua família.”