IVAR: Aluguéis residenciais sobem 1,06% em fevereiro, aponta FGV

Taxa acumulada em 12 meses desacelerou para 8,73%

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), subiu 1,06% em fevereiro, o que representa uma desaceleração em relação à taxa mensal de 4,20% registrada no mês anterior.

Com o resultado, a taxa acumulada em 12 meses passou de 10,74% em janeiro de 2023 para 8,73% em fevereiro de 2023.

Entre janeiro e fevereiro, metade das cidades componentes do IVAR seguiram a tendência do índice médio e registram desaceleração: São Paulo (de 2,84% para 2,10%) e Porto Alegre (de 10,15% para -4,71%).

As demais, Rio de Janeiro (de 1,45% para 3,11%) e Belo Horizonte (de 0,72% para 5,97%) apresentaram acréscimo na variação do aluguel residencial.

As taxas interanuais (fevereiro de 2023 ante fevereiro de 2022) desaceleraram em duas das quatro cidades componentes do IVAR: São Paulo (de 8,20% para 7,91%) e Porto Alegre (de 16,79% para 7,42%).

Já as cidades de Belo Horizonte (de 9,82% para 12,12%) e Rio de Janeiro (de 8,51% para 9,10%) registraram avanços em suas taxas interanuais.

O IVAR foi desenvolvido para medir a evolução mensal dos valores de aluguéis residenciais do mercado de imóveis no Brasil. A próxima divulgação ocorrerá em 5 de abril.