Vendas do varejo caem 1% em maio, pior que o esperado

Os agentes financeiros estimavam uma baixa de 0,2% no mês

As vendas do comércio varejista caíram 1,00% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, informou nesta sexta-feira (14) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado foi mais negativo do que a estimativas colhidas pelo Projeções Broadcast, cuja mediana apontava recuo de 0,2%. O intervalo de previsões ia de queda de 0,8% a alta de 0,7%.

Na comparação com maio de 2022, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram baixa de 1,00% em maio. Nesse confronto, as projeções iam de uma queda de 0,8% a avanço de 4,1%, com mediana positiva de 1,6%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 1,30% no ano, que tem como base de comparação o mesmo período do ano anterior. No acumulado em 12 meses, houve alta de 0,80%, ante avanço de 0,90% até abril.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 1,10% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal.

O resultado veio mais fraco que o esperado pelos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast. A mediana das estimativas apontava queda de 0,7%, com o intervalo de previsões indo de uma queda de 2,2% a alta de 0,3%.

Na comparação com maio de 2022, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 3,00% em maio. Nesse confronto, as projeções variavam de uma elevação entre 1,2% e 7,3%, com mediana positiva de 4,1%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam avanço de 3,10% no ano. No acumulado em 12 meses, houve alta de 0,20%, ante recuo de 0,10% até abril.

Com informações do Estadão Conteúdo