Setor de serviços cresce 0,9% em maio, acima do esperado

Agentes do mercado financeiro projetavam uma alta de 0,4% no mês

O volume de serviços prestados no Brasil subiu 0,9% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, segundo os dados da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), informou nesta quarta-feira (12) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No mês anterior, o resultado do indicador foi revisto de -1,6% para -1,5%.

O resultado de maio superou a mediana das estimativas colhidas pelo Projeções Broadcast, de alta de 0,4%. O intervalo das projeções ia de queda de 0,5% a uma alta de 1,9%.

Na comparação com maio de 2022, houve avanço de 4,70% em maio, já descontado o efeito da inflação. Nessa comparação, as previsões eram de uma elevação de 0,4% a 5,7%, com mediana positiva de 3,9%.

A taxa acumulada no ano – que tem como base de comparação o mesmo período do ano anterior – foi de alta de 4,80%. No acumulado em 12 meses, houve alta de 6,40%, ante avanço de 6,80% até abril.

A receita bruta nominal do setor de serviços caiu 0,5% em maio ante abril. Na comparação com maio de 2022, houve avanço de 7,1% na receita nominal.

O que puxou a alta de serviços em maio?

Segundo o IBGE, quatro das cinco atividades de serviços registraram avanços na passagem de abril para maio. O destaque foi a alta de 2,2% no setor de transportes.

Os demais aumentos ocorreram nos serviços de informação e comunicação (0,2%), serviços prestados às famílias (1,1%) e nos outros serviços (0,6%).

A única queda ocorreu nos serviços profissionais, administrativos e complementares, -1,0%.

Além disso, todas as cinco atividades de serviços registraram avanços em maio de 2023 em relação a maio de 2022.

O setor de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, com expansão de 7,1%, exerceu a principal contribuição positiva sobre o volume total de serviços, impulsionado pelos ramos de rodoviário de cargas; transporte aéreo de passageiros; navegação de apoio marítimo e portuário; armazenamento; e transporte por navegação interior de carga.

Os demais avanços ocorreram em informação e comunicação (4,0%), profissionais, administrativos e complementares (3,4%), serviços prestados às famílias (2,8%) e outros serviços (0,3%).

O índice de difusão – que mostra o porcentual de serviços com crescimento em relação ao mesmo mês do ano anterior – passou de 57,2% em abril para 58,4% em maio.

Com informações do Estadão Conteúdo