Greve contra montadoras nos EUA cresce e mais 5 mil trabalhadores aderem

Ford é poupada por atender a algumas das demandas do sindicato

O sindicato United Auto Workers (UAW) expandiu sua greve contra as principais montadoras dos EUA, paralisando operações em pelo menos 38 centros de distribuição de peças da General Motors (GM) e Stellantis em 20 Estados norte-americanos.

Mais 5.600 trabalhadores aderiram à greve, além dos 13.000 que iniciaram a greve há uma semana.

A Ford foi poupada de greves adicionais porque a empresa atendeu a algumas das demandas do sindicato durante as negociações da semana passada, disse o presidente do UAW, Shawn Fain.

“Fizemos alguns progressos reais na Ford”, disse Fain, durante uma apresentação online aos sindicalistas.

“Ainda temos questões sérias para resolver, mas queremos reconhecer que a Ford está mostrando que leva a sério a possibilidade de chegar a um acordo.”

“Na GM e na Stellantis, a história é diferente”, disse ele.

Essas empresas, de acordo com o sindicalista, rejeitaram as propostas do sindicato de aumentos salariais, participação nos lucros e segurança no emprego.

Com informações da Associated Press/Estadão Conteúdo