Fenômeno La Niña chega ao fim após três anos de duração e pode afetar a quantidade de chuvas no Brasil

La Niña é um fenômeno natural oposto ao El Niño, que consiste na diminuição da temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico afetando o clima

O fenômeno La Ninã chegou ao fim após três anos de duração, de acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) em notícia publicada nesta quinta-feira (9).

Com isso, a expectativa é que o Oceano Pacífico permaneça em neutralidade durante o outono e início do inverno de 2023 no Hemisfério Sul.

Temperaturas de ao menos 1 grau Celsio mais baixa do que o normal no Oceano Pacífico tropical caracterizam o fenômeno La Niña.

Os efeitos do La Niña são sentidos em diversos países, inclusive Brasil. Por aqui, há um aumento no volume de chuvas no Norte e Nordeste, bem como secas e temperaturas muito elevadas na região Sul.

No Centro-Oeste e Sudeste, os impactos variam. Mais recentemente, a ocorrência do La Niña provocou chuvas intensas e queda de temperatura no verão.

O fenômeno interfere em vários setores econômicos do Brasil, como o agropecuário, turismo e o de energia.

Em fevereiro deste ano, as temperaturas abaixo da média da superfície do mar enfraqueceram, ou seja, aqueceram e, atualmente, persistem apenas no Oceano Pacífico central. Por outro lado, em parte do Pacífico oriental, elas ficaram significativamente acima da média.

Ao todo, foram três primaveras consecutivas sob influência do La Niña.

O evento atingiu a categoria de nível moderado em alguns meses de 2021, mas, desde setembro daquele ano, permaneceu com intensidade fraca.

Em dezembro de 2022 e janeiro de 2023, os valores de anomalia das temperaturas da superfície do mar (TSM) foram de -0,8°C e -0,7°C, respectivamente, permanecendo na categoria de intensidade fraca.

No início de fevereiro deste ano, os valores de anomalia ficaram em torno de -0,5°C, o que já mostrava o enfraquecimento progressivo do evento.

Neutralidade do Oceano Pacífico

Com o fim do fenômeno, as previsões indicam uma transição do La Niña para uma condição de neutralidade nos próximos meses. A condição de neutralidade no Oceano Pacífico Equatorial deve permanecer durante o outono e início do inverno.

As previsões de mais longo prazo indicam um aumento nas chances de configuração de um evento de El Niño entre o final do inverno e início da primavera de 2023. Porém, é importante ressaltar que, quanto mais distante o alcance das previsões, maiores são as incertezas.

La Niña x El Niño

O La Niña é um fenômeno oceânico caracterizado pelo resfriamento das águas superficiais de partes central e leste do Pacífico Equatorial e de mudanças na circulação atmosférica tropical, impactando os regimes de temperatura e chuva em várias partes do globo, incluindo a América do Sul.

Já no El Niño, ocorre o aquecimento das águas superficiais em áreas do Oceano Pacífico Equatorial.