Fávaro: quebra de safra de grãos vai acontecer e é preciso dimensionar tamanho da produção

Ministro da Agricultura disse que a abertura de mercados internacionais trará resultados à balança comercial, mas pode gerar gargalos logísticos

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, voltou a afirmar que haverá quebra na safra brasileira de grãos 2023/24, mas ponderou que o tamanho da produção ainda precisa ser dimensionado.

“Precisamos dimensionar qual será o tamanho da safra. Haverá perdas em Mato Grosso, mas o Rio Grande do Sul, por exemplo, deve produzir 10 milhões de toneladas a mais”, disse Fávaro, durante evento de apresentação das ações prioritárias do governo federal para facilitar o escoamento da safra de grãos 2023/2024.

Fávaro destacou que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai atualizar as suas estimativas de safra na próxima quinta-feira (8).

O ministro defendeu a metodologia adotada há anos pela estatal para previsão da safra, citando questionamentos recentes de entidades do setor aos números da Conab. “Os preços dos grãos não reagem porque o Sul do País terá produção maior e a Argentina também colherá cerca de 20 milhões de toneladas a mais”, afirmou.

Ele voltou a descartar que o agronegócio vive uma crise. “Vivemos anos de incertezas no campo e intempéries climáticas, mas longe de crise instalada”, ponderou o ministro, após declarações recentes de que a agropecuária está na iminência de uma crise.

Fávaro disse também que a abertura de mercados internacionais, que vem sendo feita pela pasta, trará resultados à balança comercial, mas pode gerar gargalos logísticos.

“A infraestrutura logística é o que dá mais competitividade”, defendeu o ministro.

Com informações do Estadão Conteúdo