EUA: Após ir à China, Yellen volta à Índia para discutir problemas econômicos globais com G20

Objetivos da nova visita são pressionar pela reestruturação da dívida em países em desenvolvimento em dificuldades econômicas e aprofundar a relação entre EUA e Índia

Após uma viagem a Pequim, a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, voltou à Índia pela terceira vez em nove meses. Desta vez, ela se encontra com ministros das finanças do G20 para discutir desafios econômicos globais, como a ameaça crescente de inadimplência da dívida enfrentada por países de baixa renda. As frequentes visitas ao país sinalizam ainda para a importância da relação em um momento de tensões com a China.

Os objetivos da nova visita são pressionar pela reestruturação da dívida em países em desenvolvimento em dificuldades econômicas, buscar a modernização dos bancos de desenvolvimento globais para torná-los mais focados no clima e aprofundar a relação entre EUA e Índia. A relação de longa data dos indianos com a Rússia também deve ter destaque, uma vez que os Estados Unidos se esforçam para impor sanções aos russos, enquanto os indianos não participaram dos esforços para punir a Rússia e mantém o comércio de energia com o país.

O especialista em relações políticas entre EUA e Índia no Center for Strategic and International Studies, Raymond Vickery Jr., disse que a visita de Yellen à Índia logo após visitar a China é significativa, pois os oficiais indianos “vão querer saber em detalhes o que aconteceu nas reuniões dela com seus colegas chineses e ver como isso se encaixa em sua perspectiva sobre as relações econômicas com a China”.

Já o membro sênior do Hudson Institute, Harold W. Furchtgott-Roth, analisa que a visita de Yellen à Índia “é um reflexo de uma aliança que se desenvolve naturalmente”. “A Índia tem muitas tensões com a China – eles têm constantes disputas de fronteira”, explicou. “E a Índia deseja e desenvolveu-se como uma espécie de potência naval no Oceano Índico, que também é uma região que a China deseja desenvolver”.

Com informações de Associated Press.