Dólar fecha em queda de quase 2% com possível desidratação da PEC da Transição

O dólar fechou em forte queda a R$ 5,2061 nesta terça-feira (20), à espera da votação da PEC da Transição pela Câmara dos Deputados

O dólar à vista finalizou a sessão de hoje em queda consistente, depois de informações de que a PEC da Transição, que propõe um aumento nos gastos do governo para os próximos anos, deve ser desidratada na Câmara dos Deputados.

Ainda sem uma orientação clara para onde a política econômica do próximo governo deve seguir, e também na espera de novos nomes da equipe da nova gestão, os agentes financeiros permaneceram concentrados no debate fiscal.

No exterior, o dólar permaneceu apático ante moedas emergentes e desenvolvidas, com exceção do iene japonês, beneficiado por uma alteração do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) no controle dos rendimentos dos títulos de dez anos do governo no país.

No fim da sessão, o dólar comercial fechou em queda de 1,93%, cotado a R$ 5,2061, enquanto o contrato para janeiro da moeda americana recuava 1,83%, a R$ 5,2170 perto das 17h05. Entre os pares de divisas emergentes, o dólar recuava 0,08% ante o rand sul-africano, enquanto se desvalorizava 0,03% ante o peso mexicano.

O índice DXY, que mede o peso do dólar ante uma cesta de seis moedas de mercados desenvolvidos, operava em queda de 0,67%, a 104,018 pontos. Dentro deste grupo de seis divisas, o euro e a libra avançavam 0,09% e 0,12%, respectivamente, enquanto o iene seguia forte, com o dólar recuando 4% ante a moeda japonesa.