Dólar comercial fecha em queda de 0,62% e se descola de pares no exterior com expectativa sobre arcabouço fiscal

O que deu ajuda ao real nas negociações foi algum otimismo entre os investidores diante da informação de que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, teria sinalizado que a proposta do arcabouço fiscal estaria pronta

O dólar à vista encerrou a sessão de hoje em queda frente ao real, mesmo em um dia marcado pelo mau humor dos agentes financeiros no exterior com as divisas de mercados emergentes ligadas a commodities (o que deveria penalizar a divisa brasileira).

O que deu ajuda ao real nas negociações foi algum otimismo entre os investidores diante da informação de que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, teria sinalizado que a proposta do arcabouço fiscal estaria pronta, agora em discussão com a equipe econômica, antes de ser encaminhada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

No fim das negociações, o dólar comercial fechou em queda de 0,62%, cotado a R$ 5,1674, depois de ter atingido a mínima de R$ 5,1621 e a máxima de R$ 5,2176. Já o contrato futuro para abril da moeda americana, perto das 17h15, operava em queda de 0,65%, a R$ 5,1940. No exterior, o dólar mostrava força contra as divisas de mercados emergentes, subindo 0,73% ante o rand sul-africano e 0,16% ante o peso mexicano, mas caindo frente a moedas de mercados desenvolvidos, com DXY recuando 0,18%, a 104,327 pontos.