Bolsas da Ásia fecham em alta com otimismo sobre o teto da dívida dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse ontem estar “confiante” de que conseguirá fechar um acordo para aumentar o teto da dívida a fim de evitar um calote

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira, uma vez que o otimismo crescente diante da possibilidade de um acordo para o teto da dívida americana toma conta dos mercados ao redor do globo.

O índice Nikkei, da bolsa de Tóquio, subiu 1,60%, a 30.573,93 pontos, em meio à reunião do G7, em Hiroshima. Papéis da Sony avançaram 6,4% após notícia de que a empresa está considerando listar sua unidade financeira. Já o índice Kospi, da bolsa de Seul, teve alta de 0,83%, a 2.515,40 pontos, com ações de semicondutores, equipamentos de construção, aço e construção naval liderando os ganhos, como Doosan Bobcat (+4,2%).

Ontem, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse estar “confiante” de que conseguirá fechar um acordo para aumentar o teto da dívida a fim de evitar um calote da dívida americana. A declaração aconteceu em coletiva antes do embarque de Biden em avião rumo ao Japão, onde irá participar da reunião do G7.

“Os mercados de ações estão em uma onda de otimismo em torno do teto da dívida dos EUA, com os mercados asiáticos em alta após um forte final da sessão dos EUA”, escreveram analistas do IG. “O presidente Biden e o líder republicano Kevin McCarthy concordaram em negociar diretamente e com equipes menores de uma maneira que aponta para o progresso em direção a um acordo”, completa.

Com relação aos temores com a saúde da economia chinesa, economistas do Morgan Stanley afirmam, em relatório, que a recuperação do consumo da China pode se ampliar este ano, apoiada por ganhos salariais, especialmente no setor de serviços. No entanto, eles alertam que uma desaceleração no crescimento do investimento em ativos fixos, especialmente no setor imobiliário, aumenta o risco de que o crescimento do investimento possa se deteriorar ainda mais e ressurgir como um entrave ao crescimento. Ao reafirmar sua previsão do PIB chinês de 5,7% para 2023, os economistas dizem que se a perspectiva de crescimento se deteriorar, isso pode desencadear uma resposta política.

Na China Continental, o índice Xangai Composto fechou em alta de 0,40%, a 3.297,31

pontos, em meio a expectativas divergentes de flexibilização da política monetária, depois que dados econômicos domésticos sinalizaram, nos últimos dias, que a recuperação econômica pode estar perdendo força. Já o Hang Seng, da bolsa de Hong Kong, avançou 0,85%, a 19.727,25 pontos, com a Hua Hong Semiconductor ganhando 7,2%.