Biden defende aumento salarial em participação histórica em piquete de greve contra montadoras

As ações das empresas do setor cediam na Bolsa de Nova York nesta terça-feira

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que os membros do United Auto Workers (UAW) mereciam um “aumento significativo” de salários, durante seu discurso aos membros do sindicato que faziam um piquete na frente de um centro de distribuição da General Motors, em Michigan.

O ato do presidente ocorre em meio à corrida para a reeleição ao cargo.

“As empresas estiveram em dificuldades, mas agora elas estão se dando incrivelmente bem. E, adivinhe, você também deveria estar incrivelmente bem”, disse Biden, ao discursar para um grupo de manifestantes usando um megafone e um boné do UAW em cima de uma plataforma de madeira colocada em um gramado.

“O nosso presidente optou por defender a justiça econômica e social”, disse o presidente do UAW, Shawn Fain, que falou na sequência do mesmo piquete.

De acordo com comunicado da Casa Branca, o presidente junta-se ao piquete em solidariedade com os homens e mulheres do sindicato UAW enquanto eles lutam por uma parcela justa do valor que ajudaram a criar.

Na semana passada, o sindicato expandiu a greve contra a GM e a Stellantis em resposta ao que chamou de falta de progresso nas negociações das duas empresas.

As ações das montadoras cediam na Bolsa de Nova York nesta terça-feira. Os papéis da GM perdiam 1,97%, os da Ford, 1,19% e os da Stellantis indicavam -2,39%, perto das 15 horas (de Brasília).

Com informações do Estadão Conteúdo