BC da China promete política monetária ‘precisa e enérgica’ para impulsionar economia

Autoridade reconheceu que país enfrenta graves desafios externos e o enfraquecimento da demanda interna

O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) informou nesta quarta-feira (27) que deve intensificar o apoio à economia do país, que, segundo a autoridade monetária, enfrenta graves desafios externos e o enfraquecimento da demanda interna.

O banco central chinês disse também que tornaria a política monetária “precisa e enérgica” com o propósito de expandir a demanda e aumentar a confiança da economia.

As declarações constam de comunicado divulgado após a reunião de política monetária do terceiro trimestre, na segunda-feira (25).

As medidas anunciadas pelo PBoC incluem a redução de pagamentos iniciais e das taxas de hipoteca para compradores de casas, como parte do esforço de Pequim para apoiar o mercado imobiliário, que está em queda.

O banco central chinês reiterou ainda o compromisso de manter a liquidez razoavelmente ampla e manter a expansão estável do crédito para a economia.

A autoridade monetária informou que vai orientar os bancos a reduzir os custos de financiamento para empresas e famílias, ao mesmo tempo que apoiaria os credores na reposição de capital.

O PBoC disse ainda que intensificaria esforços para apoiar o investimento privado. A autoridade reiterou que pretende manter o yuan estável e evitar riscos de ultrapassagem cambial.

Com informações da Dow Jones Newswires/Estadão Conteúdo