BC: consignado do Auxílio Brasil soma cerca de R$ 5 bilhões no 1º mês

A modalidade entrou em operação em 10 de outubro

O empréstimo consignado – que é descontado em folha de pagamento – para beneficiários do Auxílio Brasil somou cerca de R$ 5 bilhões em outubro, segundo dados divulgados pelo Banco Central (BC) nesta segunda-feira. A modalidade entrou em operação no dia 10 do mês passado.

“Foi criada uma nova modalidade de consignação de crédito para pessoas físicas, para beneficiários do Auxílio Brasil. Não temos modalidade específica para capturar essas operações e foram agregadas junto com as operações de consignado para trabalhadores do setor privado”, explicou o chefe do departamento de estatísticas do BC, Fernando Rocha.

Os bancos concederam em média, entre janeiro e setembro deste ano, R$ 1,4 bilhão na modalidade. Com a nova linha para beneficiários do Auxílio Brasil, a rubrica cresceu 328,6% no mês e foi para R$ 6,738 bilhões, R$ 5,166 a mais do que o registrado em setembro.

“Com isso, impulsionado pelas operações para beneficiários de Auxílio Brasil, o crédito consignado cresceu o saldo em 4,6%, acima dos demais [meses]”, destacou Rocha.

“Antes das concessões com Auxílio Brasil, tínhamos um mercado bastante estável por volta de R$ 1,5 bi”, disse o técnico do BC.

“Excluindo o Auxílio Brasil, se a modalidade se manteve na média dos meses anteriores, a gente pode dizer que alguma coisa por volta de R$ 1,5 bilhão, pela regularidade estatística, se deve às operações para trabalhadores do setor privado. Portanto, é de se esperar que o crescimento dessas operações, por volta de R$ 5 bi, tenha sido derivado pelas operações de Auxílio Brasil”, complementou.

As taxas médias de juros dos empréstimos consignados para trabalhadores do setor privado também foram impactadas pela inclusão das operações para beneficiários do programa social e subiram 8,1 pontos percentuais em outubro, em relação a setembro alcançando 45,6% ao ano

“É maior taxa de juros [da modalidade] da série histórica do BC, iniciada em março de 2011”, ressaltou Rocha.

Entre os maiores bancos do país, apenas a Caixa Econômica oferece consignado no Auxílio Brasil, mas outras 15 instituições financeiras também trabalham com a linha. O governo determinou limite de 3,5% ao mês de juros e prazo máximo de 24 meses. Além disso, o beneficiário pode comprometer no máximo 40% do valor mensal.