BC está no limite de sua capacidade de entregas, alerta chefe do Departamento de Estatísticas

A instituição enfrenta atualmente uma operação padrão por parte dos servidores

O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, enfatizou na sexta-feira (25) que o órgão está no limite de sua capacidade operacional de entregas para a sociedade.

“É indispensável a abertura imediata da mesa de negociações específica para o BC”, acrescentou, ao citar a crise da instituição, que enfrenta uma operação padrão por parte dos servidores.

Assim como ocorreu no mês passado, devido ao movimento, o Banco Central não divulgou nenhuma estatística parcial de agosto sobre o setor externo. A revisão ordinária anual das estatísticas de transações correntes também foi divulgada com atraso.

Em julho, o Ministério da Gestão e Inovação anunciou a autorização de concurso para a contratação de 100 novos analistas – servidores de nível superior – para o BC.

Os funcionários da instituição, no entanto, insistem na reestruturação da carreira antes de novas contratações.

No começo do mês passado, a ministra da Gestão, Esther Dweck, adiantou ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que a carreira não deve ter uma reestruturação no curto prazo.

“No caso do BC, não tem questão de reestruturação, sinceramente. Eles querem aumento, como todo mundo, e um bônus como o da Receita. O BC é uma carreira que não se compara com as carreiras que realmente precisam de reestruturação. O BC está muito próximo de outras carreiras que já são bem estruturadas”, afirmou a ministra, na ocasião.

Com informações do Estadão Conteúdo