Copom: Conjuntura fiscal incerta requer serenidade na avaliação de riscos

Ritmo da atividade econômica também deve desacelerar nos próximos trimestres, diz a ata do Copom divulgada nesta terça-feira

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) discutiu, em reunião na semana passada, a política fiscal e as suas consequências para a inflação, mas julgou que “a conjuntura incerta requer serenidade na avaliação desses riscos”. É o que informa a ata dessa reunião, que manteve os juros básicos em 13,75% ao ano, divulgada nesta terça-feira. Também foram analisados fatores como hiato do produto e expectativas de inflação.

“A incerteza sobre a dinâmica fiscal futura e suas consequências sobre a dinâmica de inflação foram discutidas, e julgou-se que a conjuntura incerta requer serenidade na avaliação desses riscos”, diz o documento.

Segundo o Copom, as suas projeções de inflação “apresentaram um leve aumento no horizonte relevante em função tanto da elevação da projeção de inflação de preços livres em prazos mais curtos quanto de uma revisão da projeção de inflação de preços administrados em prazos mais longos”.