André Esteves: ‘Tese de que elevar a meta de inflação levaria a juros mais baixos é perigosa’

O chairman do BTG destacou que o presidente Lula tem uma ansiedade 'natural' e 'louvável' de atender rapidamente à população

O chairman e sócio sênior do BTG Pactual, André Esteves, disse nesta terça-feira (14) que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem uma ansiedade “natural” e “louvável” de atender rapidamente à população que vê como objetivo principal de seu governo.

O risco, acrescentou, é isso levar a um “atalho” que não vai chegar a lugar nenhum.

No “BTG Pactual CEO Conference 2023”, Esteves afirmou que a tese de que elevar a meta de inflação levaria a juros mais baixos é perigosa.

O executivo criticou ainda a Teoria Monetária Moderna e comentou que, desde a sua adoção, o regime de metas de inflação tem conseguido manter a inflação razoavelmente sob controle.

‘Independência indiscutível’

Esteves disse também que a independência técnica de Roberto Campos Neto é “indiscutível”, independentemente de suas posições políticas pessoais.

“Argumento de viés do BC é completamente sem sentido, beirando o absurdo”, afirmou ao ser questionado sobre declarações recentes do presidente Lula sobre a atuação do chefe da autoridade monetária. “Em ano de eleição, o BC não hesitou em subir juros para onde precisava.”

Para Esteves, os próximos passos que vão determinar quando os juros vão começar a cair são a reforma tributária e arcabouço fiscal. “Vejo equipe econômica muito engajada, me parece que com apoio do presidente.”

Ele ponderou que não é possível dar início ao movimento de corte da taxa em um momento em que há certa desancorarem das expectativas de inflação. Assim, caminhar mais rapidamente nessas reformas é a melhor maneira de antecipar o processo. “Mas me parece que o próximo movimento será de queda dos juros, não de alta.”