Ações de construtoras e varejistas disparam com Desenrola e Minha Casa Minha Vida

Na segunda, as ações da Gafisa dispararam 33% e lideraram altas; nesta terça, Assaí e Carrefour se destacaram

As ações de construtoras e de empresas do setor de bens de consumo avançaram e empurram para o alto Imob e Icon. Os índices relacionados aos setores registram os maiores ganhos na bolsa, acima do Ibovespa, que subiu 1,70%. Em paralelo, o índice relacionado a empresas do setor imobiliário avançou 3,17% e o do setor de consumo, 3,24%.

Construtoras e incorporadoras estão sendo impactadas positivamente pela possibilidade de reabilitação do Minha Casa Minha Vida e da criação do Desenrola, programa voltado para a redução da inadimplência.

No caso do MCMV, a Medida Provisória que restabelecerá o programa teve texto aprovado na Comissão mista do Congresso, realizada na última quinta-feira (1).

Mudanças na proposta original

Porém, há mudanças substanciais no que havia sido proposto inicialmente. Uma das mais importantes contempla o fim da exclusividade da Caixa Econômica Federal na distribuição de crédito com a possibilidade de bancos privados integrarem a lista de financiadores do programa, inclusive, cooperativas de crédito.

A versão apresentada pelo relator, Fernando Marangoni (União-SP), mantém os critérios de renda para a qualificação de famílias ao programa que foram apresentadas na versão original.

Entre as novidades do programa estão subsídios para projetos verdes, destinados ao uso de tecnologias sustentáveis e ambientais; relacionados a localização, para empreendimentos próximos a áreas urbanas e integrados ao transporte público; e de qualificação, para construções que incluam áreas comerciais.

Gafisa disparou 33%

O bom desempenho do setor imobiliário inclui o desempenho destacado de algumas empresas em especial, principalmente a Gafisa. A construtora e incorporadora disparou na bolsa na segunda-feira e liderou os ganhos, com alta de mais de 33% das ações, que entraram em leilão ao longo do dia por conta das altas acima do máximo estabelecido.

Nesta terça, a Gafisa devolveu parte dos ganhos, anotando queda de 5,44% no horário mencionado. Por outro lado, outras empresas do setor apresentam altas robustas, entre elas, MRV (8,35%), Viver, (+2,86%), Tecnisa (2,08%), Trisul (+3,52%), Multiplan (2,23%) e Tenda (3,29%).

MCMV e bens de consumo

Em 2013, na primeira versão do Minha Casa Minha Vida, o governo Dilma disponibilizou até R$ 5 mil em crédito imobiliário relacionado ao programa para financiamento de eletrodomésticos e móveis.

A Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) pressiona para que parte do crédito do MCMV seja novamente destinado a aquisição de bens duráveis. A associação apresentou, esta semana, uma proposta de complemento à emenda apresentada pela Comissão mista com a inclusão desse ponto.

Desenrola

O anúncio do programa Desenrola, feito pelo vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, na segunda-feira, também está mexendo com o mercado. Além das construtoras, que se beneficiam da redução da inadimplência e da recuperação do crédito no país, empresas do setor de varejo de bens de consumo também encaram as iniciativas com otimismo.

“Quando entrar em operação, os bancos darão sua contribuição para que o Desenrola reduza o número de consumidores negativados e ajude milhões de cidadãos a diminuírem suas dívidas”, disse o presidente da Febraban, Isaac Sidney.

Em abril de 2023, o Brasil atingiu a mais inadimplência da série histórica, segundo levantamento da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito).

Quatro em cada dez brasileiros adultos (40,58%) estavam negativados em março e 66 milhões tinham dívidas atrasadas, o que comprimia a base de clientes de empresas de consumo aptos a financiarem bens de maior valor agregado.

“O recorde de inadimplência no país é reflexo de incertezas econômicas vividas nos últimos anos, dos altos juros do Brasil, desemprego e renda baixa. É necessário que o governo olhe com atenção e busque uma estabilidade econômica para que o consumidor tenha condições de negociar e pagar seus débitos”, disse, à época, o presidente da CNDL, José César da Costa.

Com os programas, ações do setor de varejo disparam nesta terça, com destaque para Assaí (14,70%), Carrefour (10,9%), Magazine Luiza (2,57%) e Via (6,64%). Além disso, a Infracommerce, empresa que entrega infraestrutura para e-commerces e marketplaces, disparava, com alta de 10,49%.