Mercado hoje: Ibovespa fecha em alta com inflação e balanços; dólar encerra acima dos R$ 5

Já o dólar tem leve alta ante o real, em dia de recuperação da moeda norte-americana

O Ibovespa fechou em alta de 0,85% a sessão desta segunda-feira (8), aos 106.041 pontos (pós ajuste), com balanços do setor financeiro, queda nas expectativas de inflação e mercados do exterior no radar.

No mesmo horário, e impulsionado pelo desempenho da moeda no mercado externo, o dólar fechou com ganhos de 1,38% ante o real, a R$ 5,0114.

O noticiário local foi recheado neste início da semana, no horário do almoço, Fernando Haddad confirmou que Gabriel Galípolo, secretário-executivo do Ministério da Fazenda, é o indicado para assumir a diretoria de Política Monetária do Banco Central do Brasil.

Além dele, Aílton Aquino dos Santos, servidor da entidade há 25 anos, foi indicado para assumir a diretoria de fiscalização do BC.

Pela manhã, o boletim Focus, do Banco Central mostrou queda de 6,05% para 6,02% na mediana das projeções dos economistas do mercado para a inflação oficial brasileira de 2023.

Balanços do dia

Na temporada de balanços, destaque para o Itaú (ITUB4), que teve lucro líquido recorrente de R$ 8,43 bilhões no 1T23, montante que, pela primeira vez, é maior que o lucro de Bradesco e Santander Brasil somados.

Ainda no setor financeiro, o BTG Pactual (BPAC11) registrou lucro líquido ajustado de R$ 2,2 bilhões no primeiro tri, com alta anual de 10%.

Indústria

Também de manhã, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores informou que a produção de carros, picapes, utilitários esportivos, vans comerciais, caminhões e ônibus caiu 19,4% no mês, as vendas de veículos novos recuaram 19,2%.

O setor tem atribuído o desempenho negativo ao ambiente de juros elevados que pressiona a demanda por carros novos, à antecipação de compra de caminhões e ônibus no final do ano passado e ao fornecimento de componentes ainda não estabilizado.

Arcabouço

Agentes econômicos ainda analisam a entrevista do relator do arcabouço fiscal na Câmara dos Deputados, Cláudio Cajado, durante o fim de semana. Ele disse ao jornal “Folha de S.Paulo” que vai sugerir a fixação no texto do projeto de lei do ritmo em que os gastos poderão subir.

Dessa forma, seria mais difícil de mudar os atuais limites de gastos, que hoje têm previsão de durar apenas entre 2024 e 2027. A expectativa é que o projeto possa ser votado na semana que vem.

Eletrobras

Outros pontos de atenção é a Eletrobras, após o Valor informar que a Advocacia Geral da União (AGU) questionou a privatização da companhia no Supremo Tribunal Federal (STF). A companhia disse que seguiu o trâmite previsto legalmente.

Commodoties

Lá fora investidores monitoram as cotações das commodities.

No norte da China, segundo índice Platts, da S&P Global Commodity Insights, o minério de ferro com teor de 62% de ferro encerrou o dia com ganho de 6,1%, para US$ 109,95 a tonelada. O contrato futuro mais negociado na Bolsa de Commodities de Dalian, na China, avançou 2,4%, para 703,5 yuans por tonelada.

O petróleo Brent fechou em forte alta de 2,27%, na bolsa de Londres, negociado a US$ 77,01 o barril.