Dólar se recupera no exterior depois de Fed conservador

Nas novas projeções, o banco central dos EUA indicou apenas um corte de 0,25 ponto percentual para 2024 ante três na estimativa anterior

O dólar avança no exterior na manhã desta quinta-feira se recuperando das perdas de ontem, depois que o índice de preços ao consumidor (CPI) de maio veio abaixo do esperado, elevando as expectativas de que o Federal Reserve (Fed) poderia cortar os juros mais rapidamente. Com isso, o índice DXY – que mede a relação entre o dólar e uma cesta de moedas – chegou a cair quase 1%.

Porém, o dólar já começou a apagar as perdas ontem mesmo, depois que o Fed manteve os juros inalterados e o presidente Jerome Powell deixou claro, durante a coletiva, de que o CPI de maio foi apenas mais uma leitura e não seria suficiente para motivar um corte nos juros.

Nas novas projeções, o Fed indicou apenas um corte de 0,25 ponto percentual para 2024 ante três na estimativa anterior. Além disso, subiu ligeiramente sua previsão para o índice de preços de gastos com consumo (PCE) de 2,4% para 2,6% em 2024 e de 2,2% para 2,3% em 2025.

Segundo Chris Turner, do ING, o impulso para recuperação do dólar veio da coletiva de ontem, onde parecia que a principal mensagem de Powell era que as previsões de inflação forem reajustadas para cima e o ciclo de flexibilização do Fed poderia ser adiado. “Notamos anteriormente que Powell foi dovish nas coletivas de quatro decisões anteriores. Ontem, talvez ele não tenha encontrado espaço para ser dovish, considerando a nova previsão de inflação e o ajuste do gráfico de pontos”, disse.

Por volta das 7h42, o índice DXY subia 0,14% a 104,79 pontos. O euro recua 0,10% a US$ 1,8014 e a libra perde 0,14% a US$ 1,27782. Já a moeda japonesa recua 0,25% ante o dólar a 157,195 ienes ante expectativa de que o Banco do Japão irá reduzir sua compra de títulos do governo japonês na reunião do comitê de política monetária amanhã.

Com informações do Valor Econômico.

Leia a seguir

Leia a seguir