Por que o dólar voltou a ficar acima de R$ 5?

Valorização também acontece na comparação com moedas europeias; entenda os motivos

O dólar firma alta nesta quinta-feira (25), se alinhando à valorização internacional, engatando novas altas depois de cair abaixo de R$ 4,90 no dia 12, menor cotação desde junho de 2022. A moeda americana chegou a abrir o dia com viés de baixa em relação ao real e outras moedas importantes, mas logo reverteu o cenário.

Por volta das 15h50, a moeda americana subia 1,30% em relação ao real, cotada a R$ 5,026. A valorização é também vista em relação às principais moedas europeias. O euro fechou em queda de 0,26% em relação ao dólar, a US$ 1,07, enquanto a libra desceu 0,36%, cotada a US$ 1,23.

Dólar como defesa

A manutenção do impasse com o endividamento na economia norte-americana tem sido preponderante para alavancar o sentimento de cautela entre investidores por todo o globo. Com isso, os investidores buscam refúgio na moeda americana.

A agência de risco Fitch colocou o rating dos Estados Unidos em perspectiva negativa e afirmou, em comunicado, que espera um acordo sobre o teto da dívida antes de junho, período estimado pelo Tesouro para o possível calote.

“Essa situação tem colocado as bolsas em sinal de alerta, com investidores adotando posições defensivas. Na Ásia os mercados fecharam em sua maioria em queda e na Europa o recuo das bolsas foi acentuado pela recessão na Alemanha, economia mais robusta do bloco”, explica Diego Costa, head de Câmbio da B&T Câmbio.

PIB e seguro-desemprego

Além disso, indicadores americanos também impactam a moeda.

O PIB americano subiu 1,3%, acima da projeção dos analistas ouvidos pelo “The Wall Street Journal”. A expectativa era de alta de 1,1%. Somado ao PIB, o número semanal de pedidos de seguro-desemprego, que subiram abaixo do consenso, indicam que a economia americana segue mais aquecida que o desejado pelas autoridades monetárias.

“Esses dados contribuem para um aumento de apostas por uma alta nos juros dos Estados Unidos na próxima reunião de junho. Segundo o CME Group, a expectativa de alta de 0,25 pontos-base subiram de 36,4% na quarta para 41,4% nesta quinta”, completa Costa.