Como não perder tempo e dinheiro?

Meir Statman, professor na Califórnia e economista, oferece dicas para ajudar nessa missão

As bases de um investimento bem-sucedido são simples, mas tão simples que assustam! E são poucos aqueles que conseguem manter a disciplina para segui-las. Ficamos atrás de formas mirabolantes de ganhar dinheiro e fazer aplicações, e com isso vamos perdendo tempo e dinheiro. 

Você já ouviu falar do professor de finanças Meir Statman, da Universidade de Santa Clara, na Califórnia? Pois bem, ele é reconhecido por seus livros na área das finanças comportamentais.

E, assim, o também economista resumiu bem os ingredientes para qualquer investidor ter sucesso num artigo publicado no jornal The Wall Street Journal, a bíblia do mercado financeiro internacional.

Essas dicas valem tanto para hoje quanto valiam uma década atrás, quando o artigo foi publicado. Então, vamos a elas!

5 pontos para cuidar dos seus investimentos

Meir Statman listou cinco pontos aos quais devemos ficar atentos quando estivermos cuidando das nossas aplicações:

1. Velocidade

Basicamente ele diz que não dá para acharmos que sozinhos iremos bater os grandes operadores de mercado. Eles tendem a ser mais velozes na hora de comprar e de vender qualquer ativo.

Aliás, ouvi algo bem parecido numa palestra de Daniel Kahneman, ganhador do prêmio Nobel de economia e autor do estudo que analisa economia e finanças sob a ótica comportamental. Para Kahnenan, o investidor sozinho tende a entrar e sair dos mercados nas horas erradas…

2. Futuro não é passado

Isso é o que diz o segundo ponto de Meir Statman. Ótima observação, principalmente quando se trata do mercado de ações.

São muitos os momentos em que uma legião de pequenos e médios investidores no Brasil e exterior batem à porta da bolsa de valores. Afinal, estão animados com ganhos generosos quando o mercado está em alta, embalados pelos ganhos num passado recente e não pela perspectiva de ganhos futuros.

Já observei esses movimentos em vários momentos nesses meus 30 anos de jornalismo na cobertura de finanças. Em 2008 foi um momento bem emblemático, pois o mercado vinha de mais de cinco anos de altas consecutivas.

Naquela época, muitos compraram na alta e fugiram na forte baixa que solapou a bolsa no segundo semestre de 2008. Comprar ações embalados pela euforia do mercado é o primeiro passo para perder dinheiro. Então, cuidado!

3. Sofrimento por perdas

“Não chore pelo leite derramado”, diz Statman. Muita gente sofre tanto quando vem a baixa do mercado que se esquece de aproveitar o momento para recuperar perdas. Pois é comprando ações baratas que você tem mais chances de conseguir altas espetaculares para cobrir prejuízos passados. 

4. Sedução por histórias de sucesso

Quem nunca se deparou com histórias de sucesso com investimentos (nem sempre reais)? Aqui está outro caminho perigoso para investidores, apontado por Statman.

Ou seja, fazer aplicações que você não conhece e não avalia os riscos só porque um amigo ou parente diz que ganhou muito dinheiro é, em geral, uma roubada.

Podemos atualizar este ponto com a proliferação de influencers nas redes sociais que prometem ganhos fáceis e rápidos. Casos recentes envolveram o mercado de criptoativos, como os dos jogadores do Palmeiras com R$ 11 milhões perdidos e até uma multa da socialite Kim Kardashian. 

5. Medo e ganância não são bons conselheiros

Este ensinamento é um clássico, segundo Statman, na sua quinta recomendação aos investidores. Para superar o medo, o melhor é a informação de qualidade.

Portanto, avalie bem os riscos de cada aplicação para saber quanto pode investir e forme uma carteira diversificada, que é um santo remédio para diluir riscos, costumam recomendar os analistas de investimento.

Já a ganância… Bem, saiba que dinheiro não cai do céu e todo investimento tem risco.

Formar preço médio é tão simples que não seduz

Outro ponto abordado por Meir Statman que é muito simples, mas que os investidores resistem em aplicar, é a estratégia conhecida como dollar-cost averaging, que basicamente significa formar um preço médio para suas ações.

Você aplica mensalmente o mesmo valor em um mesmo fundo de ações ou em um determinada ação, e dessa forma vai formando um preço médio ao longo do tempo.

É uma estratégia muito eficiente para o investidor, porque nos meses em que o mercado está em alta você compra menos ações, mas nos meses em que ele está em baixa você compra mais ações com a mesma quantidade de dinheiro. Assim, sua carteira tem, no longo prazo, um preço médio bastante razoável.

Isso é especialmente verdade para fundos de ações, porque conta com um time de profissionais escolhendo as melhores empresas. Já se você compra diretamente, atenção – porque nenhuma estratégia é eficiente se você estiver com ações de empresas que estão em declínio nos seus negócios.

Simples, não? Os estudiosos dizem que é simples e eficiente para se ter sucesso no mercado de ações e ainda nos poupa do estresse das crises. Mas este é o problema: a simplicidade nos assusta.