CSN (CSNA3) investe R$ 700 milhões em equipamentos e filtros contra poeira em Volta Redonda

Após multa de R$ 1.013.871,60 devido à disseminação de poeira negra oriunda de seus alto-fornos, empresa investe em filtros e controles ambientais

Multada em R$ 1.013.871,60 devido à disseminação de poeira negra oriunda de seus alto-fornos em Volta Redonda, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou que está investindo R$ 700 milhões para sanar o problema.

Os recursos serão direcionados para a compra de equipamentos e filtros que devem aprimorar os seus controles ambientais. A siderúrgica informou que tem obras definitivas, a serem concluídas em 2024, para reduzir o impacto da poeira, que se agrava na época de tempo seco.

Em nota, também disse que está adotando diversas medidas de curto prazo, afirmou, sem detalhar. A empresa afirma ainda que tem trabalhado em consonância com as autoridades ambientais do Estado do Rio de Janeiro e com o município de Volta Redonda.

A operação das estações de monitoramento da qualidade do ar localizadas no município de Volta Redonda tem seus dados reportados de forma online ao INEA Instituto do Meio Ambiente e sem qualquer ingerência da companhia, afirmou a CSN em nota.

Com informações do Estadão Conteúdo