Como ganhar mais investindo menos?

Para investir para a aposentadoria é preciso de tempo e dinheiro. Quanto mais você tiver de um, menos precisará do outro

Investir para a aposentadoria requer tempo e dinheiro. Quanto mais você tiver de um, menos precisará do outro. Não subestime esta equação, pois o tempo é um fermento poderoso para engordar suas aplicações. Ele é a resposta quando o assunto é como ganhar mais investindo menos.

Contudo, um erro comum para adiar o programa de investimento é achar que não temos dinheiro suficiente para investir. Quando o tema é aposentadoria, soma-se a esse erro outro ainda mais grave: achar que a aposentadoria está longe demais, e ainda é cedo para pensar no assunto.

A oitava maravilha

Ironia do destino e da matemática, quanto mais tempo você tem, menos dinheiro você precisa para criar um patrimônio para a aposentadoria. É a tal força das taxas de juro compostas, ou juro sobre juro, considerada pelo físico Albert Einstein como a oitava maravilha do mundo.

No longo prazo, os juros compostos têm uma força parecida com uma bola de neve, mas, diferentemente da avalanche branca e gelada, você não será soterrado. Ao contrário, vai emergir para desfrutar momentos muito agradáveis e divertidos. Com dinheiro no bolso, pode apostar que sua aposentadoria será uma fase de muito prazer. E, quanto antes você começar a pensar no assunto, mais fácil será essa empreitada.

Ganhou mais quem tinha mais tempo

Então vamos lá, para saber como ganhar mais investindo menos, observe este exercício simples de um caso hipotético: um investidor que começou a aplicar R$ 1.200 ao ano aos 25 anos de idade e parou de fazer os aportes depois de cinco anos, ou seja, quando atingiu a idade de 30 anos, conseguiu chegar aos 65 anos de idade com uma quantia de R$ 135.700 sem fazer nenhum aporte adicional. Ele fez os aportes por cinco anos e depois apenas deixou seu dinheiro aplicado rendendo uma taxa real (acima da inflação) de 8% ao ano.

Já outro investidor começou seus investimentos mais tarde e fez seu primeiro aporte aos 40 anos de idade. Ele investiu os mesmos R$ 1.200 anuais e não interrompeu os aportes. Ao contrário do primeiro, manteve a injeção de recursos na aplicação religiosamente todo ano até completar os 65 anos de idade. Mas, embora a taxa de retorno tivesse sido os mesmos 8% reais ao ano, ele conseguiu acumular R$ 100 mil.

Em suma, por que o primeiro investidor ganhou mais contribuindo menos? Porque tinha mais tempo. No primeiro caso, o dinheiro ficou aplicado por 40 anos e no segundo caso por 25 anos. Quando se trata de taxa de juro composto, o tempo tem um poder maior que o próprio dinheiro. Aqui você pode fazer suas próprias simulações.

Por isso, nunca adie o início de sua carteira de investimento para a aposentadoria ou para sua independência financeira. Por menor que seja a quantia que você vai dispor para essa aplicação, lembre-se: o tempo e as taxas de juro poderão fazê-la crescer de forma impressionante.