CEO explica por que EDP decidiu fechar capital no Brasil

Grupo controlador diz que movimento demonstra confiança na economia brasileira

Em entrevista coletiva para tratar do plano estratégico do grupo português EDP para o período entre 2023 e 2026, o presidente da empresa, Miguel Stilwell de Andrade, reforçou que continua vendo boas oportunidades de crescimento no Brasil. Segundo ele, o plano de fechamento de capital da subsidiária EDP Brasil otimizará as operações do grupo no país. O executivo destacou que o grupo atua há anos no Brasil e já passou por vários ciclos econômicos e políticos.

O plano estratégico inclui o processo para fechamento do capital da EDP Brasil, oferecendo R$ 24 por ação, equivalente a um prêmio de 22,26% sobre o preço de fechamento do papel na véspera. Além disso, a empresa apresentou metas de crescimento do seu lucro e nova política de dividendos.

A EDP acredita que o processo será finalizado no segundo semestre deste ano e será financiada por um aumento de capital de 1 bilhão de euros, colocado junto de investidores institucionais, o que, segundo a empresa, deve proporcionar uma maior flexibilidade para gerir a presença integrada do grupo neste mercado. Vale destacar, que a EDP já vinha demonstrando insatisfação com o atual valor das ações da EDP Brasil.

Segundo o grupo controlador, o movimento ocorre num ambiente internacional desafiador, devido ao cenário de altas taxas de juros e demonstra confiança do grupo português EDP na economia brasileira, em suas instituições e no ambiente de negócios.