Bolsas da Europa recuam, pressionadas por quedas nos PMIs, perspectivas recessivas e BCs

Divulgação dos índices de compras abaixo do esperado sugeriu potencial quadro recessivo

As bolsas da Europa fecharam em baixa nesta sexta-feira (23) em uma sessão marcada pelo pessimismo com a atividade econômica na região.

A divulgação dos índices de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) abaixo do esperado por analistas sugeriu um potencial quadro recessivo para o continente europeu, o que acabou repercutindo nos ativos.

Além disso, há ainda as perspectivas de continuidade no aperto monetário pelos bancos centrais das economias desenvolvidas, o que ganhou forças nos últimos dias.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,34%, a 453,14 pontos.

Indicadores europeus

A última rodada de PMIs europeus decepcionou de forma geral. O PMI composto da zona do euro caiu mais do que o esperado em junho, a 50,3, sinalizando que a atividade no bloco se estagnou e realimentando temores de recessão.

Na Alemanha e no Reino Unido, os PMIs vieram igualmente abaixo das expectativas.

Neste contexto, indicadores europeus positivos ficaram em segundo plano. No Reino Unido, as vendas no varejo tiveram uma inesperada alta em maio.

Juros na Europa

A notícia veio apenas um dia após o Banco da Inglaterra (BoE) e bancos centrais da Suíça, da Noruega e da Turquia elevarem seus juros, na tentativa de combater persistentes pressões inflacionárias.

Para Edward Moya, analista da Oanda, a inflação teimosa do Reino Unido está forçando o BoE a se tornar muito mais agressivo com sua campanha de aumento de taxas, o que aumentará significativamente a dor das pessoas com hipotecas. Em Londres, o FTSE 100 caiu 0,54%, a 7.461,87 pontos.

Zona do euro

Em Milão, a ação da antiga Telecom Italia (hoje Grupo TIM) caiu 0,54%, após atualização da empresa de telecomunicações italiana sobre negociações para a venda de ativos.

Já a ação da Eni caiu 0,70%, seguindo a confirmação da aquisição empresa do Neptune Energy Group por cerca de 5 bilhões de europa, o que apoia o objetivo estratégico da companhia italiana de energia de aumentar a participação do gás em seu portfólio.

Na mesma cidade, o FTSE MIB caiu 0,73%, a 27.209,66 pontos.

Em Frankfurt, o DAX recuou 0,99%, a 15.829,94 pontos.

Em Paris, o CAC 40 teve baixa de 0,55%, a 15.829,94.

Em Madri, o Ibex35 teve baixa de 1,01%, a 9.270,10 pontos. Já em Lisboa, o PSI 20 caiu 1,30%, a 5.868,72 pontos.

Com informações Estadão Conteúdo