Apple faz planos para retirar parte da produção da China

A empresa está dizendo aos seus fornecedores para planejarem mais ativamente a montagem de produtos da Apple em outros locais na Ásia

Nas últimas semanas, a Apple acelerou os planos para retirar alguma da sua produção da China, há muito o país dominante da cadeia de fornecimento que construiu a empresa mais valiosa do mundo, disseram fontes envolvidas nas discussões.

A empresa está dizendo aos seus fornecedores para planejarem mais ativamente a montagem de produtos da Apple em outros locais na Ásia, particularmente na Índia e no Vietnã, disseram as fontes, e para procurarem reduzir a dependência dos fabricantes de Taiwan liderados pela Foxconn Technology Group.

A agitação na chamada iPhone City ajudou a motivar a mudança da Apple. Na gigante cidade dentro de Zhengzhou, na China, até 300 mil pessoas trabalham numa fábrica operada pela Foxconn para fazerem iPhones e outros produtos da Apple. A certo ponto, apenas essa operação fez 85% da linha Pro dos iPhones, de acordo com a firma de pesquisa de mercado Counterpoint Research.

Após um ano de acontecimentos que enfraqueceram o status da China como um centro de produção estável, a mudança significa que a Apple já não se sente confortável em ter tanto do seu negócio ligado a um local, de acordo com analistas e pessoas na cadeia de fornecimento da Apple.

“No passado, as pessoas não prestavam atenção aos riscos de concentração”, disse Alan Yeung, antigo responsável dos Estados Unidos para a Foxconn. “O comércio livre era a norma e as coisas eram muito previsíveis. Agora entrámos num novo mundo.”